Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(29 jun) Sol nasce logo após a decolagem do Solar Impulse de Nagoya

(afp_tickers)

O avião Solar Impulse 2 já percorreu dois terços do caminho entre Japão e Havaí, o trecho mais perigoso de sua volta ao mundo, e está a cerca de quarenta horas de pousar no território americano, informaram nesta quarta-feira os responsáveis da missão.

Por volta das 21H00 GMT (18H00 Brasília), o Solar Impulse 2 já havia percorrido 67% de seu trajeto em direção ao arquipélago do Pacífico, superando 5.199 km e tendo pela frente 2.536 km.

Com 75 horas a bordo do avião, o piloto André Borschberg conseguiu uma façanha inédita, quebrou o recorde do Solar Impulse de 44 horas de voo sem escalas, entre China e Japão.

"Alguns exercícios de yoga no avião solar após 74 horas de voo. É isto, outro dia normal no escritório", tuitaram os organizadores junto a uma foto de Borschberg na cabine.

Bertrand Piccard, coautor do projeto e o segundo piloto da aeronave, que atua em rodízio com Borschberg, disse no início do terceiro dia de voo sem escalas que "o momento fascinante mostra que um avião pode voar sem interrupção produzindo sua própria energia".

André Borschberg contou que estava "em excelente forma". "A noite foi difícil, mas fantástica", informou o piloto de 62 anos.

O Solar Impulse 2, que tem as asas cobertas por células fotovoltaicas, permaneceu mais de um mês no Japão por conta do mau tempo, mas decolou na segunda-feira para seguir sua aventura.

O avião começou sua jornada em 9 de março em Abu Dhabi rumo a uma volta ao mundo de 35 mil quilômetros - uma aventura para promover o uso de energias renováveis, especialmente da energia solar.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

AFP