Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Suíça em campanha para retocar a imagem

Paul Reutlinger, presidente de Presença Suíça, esq., e Johannes Matyassy, diretor da entidade.

(Keystone)

Organismo do Governo Suíço está gastando, em 3 anos, 46 milhões de francos - cerca de US$ 25 milhões - para retocar a imagem do país, particularmente arranhada pelo papel ambíguo que exerceu durante a Segunda Guerra. "Presença Suíça" realiza campanhas de marketing, promove intercâmbios e convida delegações estrangeiras...

De 2000 a 2003, Presença Suíça (nome que rebatiza a Comissão de Coordenação da Presença Suíça no Exterior - CoCo), decidiu aplicar 46 milhões de francos em projetos destinados a melhorar a imagem do país.

Na segunda metade da década de noventa, com as histórias das contas de vítimas do nazismo, inativas nos bancos suíços, de compra de ouro dos nazistas, da discriminação de refugiados judeus e certa complacência com a Alemanha de Hitler, a imagem da Suíça ficou muito arranhada.

As autoridades encontraram explicações, como o fato do perigo de invasão do país e a falta de opções... Argumentos que permitiram talvez entender um pouco a situação, sem no entanto justificar a atitude ambígua do país.

Organizações judaicas começaram cobrar, a imprensa internacional colocou lenha na fogueira, o Governo reagiu nem sempre de maneira adequada, os Estados Unidos deram um apoio e a Suíça se viu acuada.

Como resultado, os bancos acabaram pagando indenização de US 1.2 bilhão de dólares, uma comissão revirou arquivos na busca de quem teria direito a parte da soma, e uma outra passou a limpo o papel, nem sempre glorioso, exercido pela Suíça no período da Segunda Guerra Mundial.

Agora cabe à Presença Suíça (PS) colar os cacos. O organismo oficial destinado a promover a imagem do país no estrangeiro, exerce suas atividades há seis meses. E o diretor de PS, Johannes Maatyassy, estima que essa imagem já deve ter melhorado no mundo.

Entre os feitos, menciona o envio do balonista Bertrand Piccard à América do Sul, inclusive ao Brasil, a participação no festival de música "Caliente", em Cuba, e o fato de a "visitors agency já ter convidado 26 delegações estrangeiras desde o início de 2001, esperando outras 25 até o fim do ano".

Presença Suíça tem projeto também de incrementar intercâmbio de estudantes entre Suíça e Estados Unidos, intercâmbios escolares com a Alemanha e ainda de lançar na Grã-Bretanha o programa "Dialogue across mountains" (diálogo através de montanhas) que consiste em 45 projetos relacionados com a imagem da Suíça.

Tem ainda campanha de "marketing nacional" nos Estados Unidos e intenção de participar nas exposições universais de Paris (2004) e Japão (2005).

Presença Suíça está também projetando uma espécie de "selo suíço" em torno da bandeira nacional - retângulo vermelho com uma cruz branca - que seria uma espécie de marca para as atividades e operações suíças de marketing.

swissinfo com agências.


Links

×