Navigation

Suíça ganha Campeonato Mundial de Ofícios

Pedreiros em pleno trabalho no Mundial de Ofícios Keystone

Jovens suíços ganharam 20 medalhas e o primeiro lugar do 37° Campeonato Mundial de Ofícios, realizado em St-Gallen. É fruto da política federal de valorização do ensino profissionalizante.

Este conteúdo foi publicado em 27. junho 2003 - 17:58

O Brasil, representado pelo Senai, ficou em 12° lugar entre os 37 países participantes.

A cidade de St-Gallen, na Suíça oriental, acolheu de 19 a 22 de junho as olimpíadas dos ofícios que ocorrem de dois em dois anos e têm o objetivo de estimular o desenvolvimento e formação de jovens em escala mundial.

Medir capacidades

No discurso de abertura do evento, o ministro da Economia, Joseph Deiss, afirmou que "a única coisa que conta na Suíça é trabalhar com gosto sem que tenha qualquer importância o tipo de profissão que se exerça".

40 ofícios estiveram representados. Clássicos como padeiro, encanador, carpinteiro, jardineiro, cabeleleiro, constureira, eletricista, mas também os relacionados com as novas tecnologias como programador, eletrônico e grafistas em páginas Web.

O Campeonato já havia sido realizado na Suíça em 1997 mas este ano, com 700 aprendizes de 37 países, o recorde de participação foi batido, segundo o presidente do comitê suíço de organização, Armin Mühlematter.

A competição é organizada por WorldSkills, organização não governamental que tem como finalidade a promoção da formação profissional motivanto os jovens, as empresas e os professores em ofícios altamente qualificados.

Daniel Sommer, secretário geral de WorldSkills, disse que o objetivo do campeonato mundial é valorizar a formação profissional, propiciar intercâmbios de conhecimentos e difundir informação sobre os avanços tecnológicos nas várias profissões.

Suíça está na vanguarda

"O fato da Suíça ter acolhido pela segunda vez esse evento não é uma coincidência mas um reconhecimento de seu sistema de formação", afirmou Jack Dusseldorp, presidente de WorldSkills, ao entregar as medalhas à delegação helvética, vencedora do Campeonato.

Antes da Segunda Guerra Mundial, a Suíça instituiu um sistema educativo baseado na aprendizagem e capacitação profissional de jovens nos mais variados ofícios.

A idéia era e ainda é uma forma de qualificar jovens que concluiam a escolaridade obrigatória mas não acediam à universidade. Tinham então de entrar para o mercado de trabalho sem formação, o que motivou a criação do ensino profissionalizante.

Desde então, cada cantão (estado) se encarrega da formação profissional dos jovens, em colaboração com associações patronais e sindicatos. Os cursos levam de 3 a 4 anos e, ao final, o aluno recebe um "Certificado Federal de Capacitação", reconhecido em todo o país.

Dessa forma, todo ofício, por mais humilde que seja (açougueiro, pintor de parede, soldador, vigilante ou vendedor) é profissão reconhecida e bem paga.

"O importante é que, no final do processo, graças à formação e capacitação profissional, todos cheguem à mesma estação e contribuam para o crescimento da economia nacional", afirmou o ministro da Economia Joseph Deiss.

Satisfação e orgulho

Georges Zund, chefe da delegação suíça no Mundial de Ofícios, disse que não foi fácil selecional os representantes do país. "Muitas empresas em que os jovens estão se formando eram reticentes em liberá-los para o processo de preparação do concurso".

É que os suíços prepararam o evento com antecipação. Depois de um processo de seleção, os melhores em seus ofícios iniciaram um estágio de treinamento em março, no Cantão de Emental, na Suíça central.

Como se fossem uma equipe de futebol, os 42 selecionados prepararam minuciosamente suas atividades, tiveram aulas de psicologia, sofrologia, trato com a imprensa etc.

"Desenvolvemos um espírito de grupo, fizemos uma preparação intensiva, nos estimulados e nos preparamos física e mentalmente para ganhar", explicou Georges Zund.

Agora, o objetivo dos suíços é conservar o primeiro lugar no próximo Mundial de Ofícios, na Finlândia, em 2005.

swissinfo, Alberto Dufey, St-Gallen

Breves

Los resultados obtenidos en el Campeonato Mundial de los Oficios confirma el éxito de la política federal de formación de jóvenes.

En Suiza todos los oficios, por humilde que sean, son valorizados en su valor real.

La formación profesional en Suiza abarca todas las profesiones, desde las clásicas (artesanos) hasta las nuevas tecnologías informáticas.

El Campeonato Mundial de los Oficios tiene como finalidad permitir intercambios de conocimientos y difundir información sobre los avances tecnológicos que se logran en las respectivas profesiones.

Tras de Suiza se ubicaron los países emergentes de Asia, empeñados también en promover la formación profesional de sus jóvenes.

La 38° será organizada en el 2005 en Finlandia.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?