Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Suíça não pode aderir à OTAN

Programa de Parceria Pela Paz inclui troca de informações e manobras conjuntas.

(swissinfo.ch)

A expansão da OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte - para o Leste terá um efeito positivo sobre a cooperação em escala planetária.

A opinião é do chefe da diplomacia suíça, Joseph Deiss, ao discursar na reunião de cúpula da OTAN, em Praga.

A Suíça é membro do Programa de Parceria Pela Paz (PPP)da OTAN mas aderir à Aliança Militar Ocidental seria incompatível com a tradicional neutralidade do país.

Mesmo a decisão de aderir ao PPP, em 1996, causou polêmica na Suíça, quando parte da opinião pública e partidos políticos temiam que isso fosse um promeiro passo para a adesão à aliança militar.

Manobras conjuntas e informações

O ministro suíço das Relações Exteriores reafirmou esse princípio sexta-feira, ao discursar na cúpula da OTAN, em Praga.

Joseph Deiss falou principalmente da adesão de 7 novos membros do Leste Europeu, aprovada na mesma cúpula. Com a inclusão da Letônia, Lituânia, Estônia, Eslováquia, Eslovênia, Romênia e Bulgária, a OTAN passa de 19 a 26 embros e suas fronteiras chegam bem perto da Rússia.

Essa extensão é vista pelo ministro suíço como importante para defender a democracia, a estabilidade e a segurança na Europa. Aumentará também a rede de informações disponíveis. O países do PPP também participam de manobras militares conjuntas.

Para os suíços, a questão é de saber se a expansão da OTAN aos países do ex-bloco comunista não vai esvaziar o Programa de Parceria pela Paz. Para o chefe da missão suíça junto à OTAN, em Bruxelas, Anton Thalmnn, "a expansão é um fator de estabilidade que também do interesse da Suíça."

OTAN pode tornar-se mais política

Quanto ao PPP, ela afirma que os países que participam do programa "têm todas as garantias de participar de serem consultados e até de participar das
decisões.

Fred Tanner, diretor do Centro de Política de Segurança, em Genebra, afirma que, "a curto prazo, o PPP deverá continuar sendo um instrumento importante". A longo prazo, é difícil avaliar, segundo ele, já que a "Aliança Atlântica pode tornar-se um instrumento mais político que militar"

swissinfo com agências

Breves

- Neutralidade da Suíça é incompatível com adesão

- Suíça está no Programa de Parceria pela Paz desde 1996

- Com a extensão à Leste passando a ter 26 membros, OTAN pode ser mais política que militar, segundo especialistas

- A força anti-terrorista a ser criara é contrária à doutrina defensiva da OTAN

- Extensão pode colocar esvaziar o Programa de Parceria pela Paz, do qual a Suíça faz parte.

Aqui termina o infobox


Links

×