Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Suíça quer acordo eqüitativo na OMC

Joseph Deiss adverte agricultores e ongs contra ameaça de referendo.

(Keystone)

"Seria inimaginável a Suíça ficar fora de um consenso final na OMC." A posição é do ministro da Economia, Joseph Deiss, antes da Cupula de Cancún, no México.

O ministro dá a entender que a Suíça poderá fazer concessões na Agricultura para que as negociações progressem em outros setores.

Se a Suíça ficasse fora de um acordo, isso seria prejucial para o conjunto da economia e, portanto, também aos agricultores. Para subvencionar a Agricultura, é preciso uma economia em crescimento e finanças saudáveis.

Advertência aos agricultores

A posição oficial do governo suíço, expressa pelo ministro da Economia, Joseph Deiss, é uma advertência aos agricultores suíços, contrários ao entendimento já concluido entre os Estados Unidos e a União Européia a respeito das negociações agrícolas na Conferência Ministerial da OMC, em Cancún, de 10 a 14 de setembro.

Deiss vai dirigir a delegação suíça na conferência do México e falou à imprensa quarta-feira, 27. Ele advertiu agricultores e ongs suíças contra a ameaça de organizar um referendo, se um acordo desfavorável for firmado na OMC.

O ministro disse que é preciso um acordo "eqüitativo" mas admitiu que a Suíça está disposta a continuar a liberalização da agricultura, segundo o plano estabelecido para o período 2004-2007 e ir inclusive mais além.

De fato, a época de ouro da agricultura suíça já passou. Durante muito tempo, a autonomia alimentar foi tida como estratégica, o que justificava as subvenções maciças.

Outras formas de proteção

Depois que a produção deixou de ser diretamente subvencionada há dez anos, 20 mil propriedades deixaram de produzir. Os estímulos agora são para a produção menor, com métodos mais ecológicos, a manutenção da paisagem e as exportações.

Na coletiva de quarta-feira, Deiss disse ainda que existem outros fatores a serem melhorados como extender a zonas de delimitação geográfica (que já existem para os vinhos) a outros produtos como queijos e carnes.

O ministro da Economia teme que se a questão agrícola não avançar na Cúpula de Cancún, as outras negociações também fiquem bloqueadas. Esse atraso é considerado "inquietante".

Investimentos e patentes

O governo suíço está particularmente interessado no avanço das negociações para um acordo de investimentos.

A questão do acesso dos países pobres aos medicamentos também está na pauta. Deiss lembrou que a Suíça é favorável e já decretou uma moratória unilateral, renunciando a atuar junto à OMC contra os países que exportam remédios para combater epidemias em países mais pobres, apesar do direito de patente.

swissinfo

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×