Suíços ficam na Argentina

swissinfo.ch

Apesar da situação caótica, os investimentos suíços não são de natureza especulativa e ficarão no país "para o que der e vier". A Secretaria da Economia considera que a situação é uma "prova de fogo" para o Brasil e o Mercosul.

Este conteúdo foi publicado em 21. dezembro 2001 - 17:09

"A situação na Argentina é extremamante difícil e nos preocupa. Estamos atentos à orientação que será dada à política financeira", afirmou à swissinfo Jean-Jacques Maeder, responsável pelo setor Américas da Secretaria Federal de Economia (SECO), em Berna.

Investimentos a longo prazo

A embaixada suíça em Buenos Aires acompanha de perto os acontecimentos para informar os quase 15 mil suíços residentes na Argentina e os eventuais turistas.

Maeder afirmou que está fora de questão uma eventual retirada de investimentos suíços na Argentina. "As empresas trabalham num contexto difícil mas os compromissos comerciais são feitos para durar", explicou.

10,11% dos investimentos suíços na América Latina estão na Argentina, segundo dados da SECO.

Comércio declina

A Argentina é o terceiro mais importante parceiro comercial da Suíça na América Latina, depois do Brasil e do México. Em 2000, a Suíça exportou 409 milhões de francos (US 250 milhões, no câmbio de hoje) para a Argentina e importou 76 milhões de francos.

Nos últimos 10 meses, as exportações cairam 15% e as importações 20%. Estão presentes na Argentina os setores industrial (farmacêutico, químico, maquinaria) e de serviços (seguros, bancos, vigilância).

swissinfo/Marcela Aguila Rubín

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo