Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Suíços manifestam 1 mês após reunião do G8

Em Basiléia houve ataques a vitrines de um banco

(Keystone)

Em protesto contra violências da polícia italiana, em Gênova, há um mês, durante a conferência do G8 (grupo dos países mais industrializados + Rússia), centenas de pessoas saíram às ruas em três cidades suíças. Em Basiléia a manifestação degenerou-se...

Segundo a polícia de Basiléia, o protesto na cidade reuniu apenas 300 pessoas. Mesmo assim houve certa violência: vitrina de um banco (filial do UBS) foi quebrada e foi rasgada uma bandeira do consulado italiano.

A polícia utilizou balas de borracha para dispersar umas cinqüenta pessoas que ocupavam praça do centro de Basiléia, efetuando várias detenções.

Homenagem

Os manifestantes prestaram homenagem a Carlo Giuliani, jovem de 23 anos abatido por um policial nas manifestações contra o G8 (20-22/7) em Gênova. Foi a primeira vítima entre os manifestantes anti-globalização.

Vale recordar que no fim de semana veio a público que a Suíça cobrou das autoridades italianas o encarceramento e maus tratos de 9 de seus cidadãos quando da conferência do G8.

Violências em Gênova deu processo

Dois dos manifestantes suíços vão processar as autoridades italianas pelo ataque contra a escola (Armando Diaz) em que se encontravam durante a conferência do G8. Na intervenção mais de 60 manifestantes anti-globalização ficaram feridos.

O Ministério suíço decidiu respaldar o processo.

swissinfo com agências.


Links

×