Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Suíços pensam no futuro no Salão Internacional do Móvel

Cadeira "multimídia" da Desede.

(swissinfo.ch)

Milão faz as honras da casa para os projetos e os móveis suíços durante o Salão Internacional do Móvel.

Os suíços vêem longe. Eles participam do Salão Internacional do Móvel, em Milão, com os pés no presente e o olhar no futuro.

Os suíços vêem longe. Eles participam do Salão Internacional do Móvel, em Milão, com os pés no presente e o olhar no futuro. E a preocupação com as gerações de amanhã se reflete no trabalho coletivo dos designers helvéticos participantes do Salão Satélite, espaco aberto aos jovens de talento de todo o mundo.

Neste ano o tema foi o meio ambiente. Projetos eco-sustentáveis realizados com material reciclável ou energia alternativa eram bem-vindos. Com exceções que justificam a regra, os quase 500 designers de todo o mundo marcaram presença com criatividade.

Os suíços de Postfossil querem induzir a humanidade a seguir pelo bom caminho do ambientalismo para não piorar o que já está bem ruim, ou seja, a febre do planeta. E com o barril do petróleo a mais de cem dólares, os dez profissionais do design helvetico decidiram que algo tinha que ser feito. "A nossa contribuição é questionar o que vai vir depois do fim da nossa era do petróleo e preparar as pessoas para o que elas irão enfrentar", explicou a designer Corina Zuberbuher.

Curioso abajur

Um dos projetos do grupo "depois do fóssil" é um curioso abajour. Ele funciona seguindo os princípios do farol da bicicleta. Mas no lugar do movimento da roda em atrito com o dínamo foi construído um engenhoso sistema de pesos e contrapesos. A lenta queda de uma barra de ferro, garantida por roldanas e correntes, assegura a pressão necessária para rodar o dínamo e gerar energia elétrica, suficiente para ler três paginas de um bom livro.

Já a dupla de nome quase impronunciável, "Aebischerchicherio", foi ainda mais longe. Ao invés de propor novos produtos, as duas suíças tentam vender boas idéias depois de terem cursado juntas a ECAL, a Universidade da Arte e do Desenho de Lausanne. Mas algumas são tão interessantes, que acabam sendo concretizadas.

Nicole, a Aebischer do dueto, elaborou uma bandeja composta por simples círculos de ferro. A idéia foi dobrar levemente as bordas laterais para facilitar o transporte e transformá-las em ponto de apoio. Gabriela, a Chicherio da empresa, criou caixas de papelão e as chamou de Liliput. O jogo foi pensado para as crianças. Elas podem dar "vida" e forma aos elementos.

Prancha de snowboard

Filhos da ECAL - Escola Cantonal de Artes de Lausanne - também os são dois rapazes e duas moças. Eles se uniram e fundaram a DesignA4 . Julia Modolo, Sven Tugwel, Jean-Philippe Bonzon e Gaele Girautl buscam sempre simplicidade e praticidade. O interesse vai desde jóias à instalação de um sistema de luz capaz de criar um diferente ambiente mesmo quando duas fontes de calor são distintas entre si.

E da ECAL chega uma das propostas mais inusitadas do Salão Satélite. Os jovens designers decidiram personalizar as pranchas de snowboard. Os alunos do curso de "Master of Advanced Studies Luxury", em parceria com Design HES.SO, cravejaram a superfície da prancha com os prestigiados cristais Swarovski.

Prestígio também é o curso, considerado uma ilha de excelência européia, e especializado em criar produtos de altíssimo nível. O desafio era manter os cristais presos sem cair. Olhando para o amanhã, esta turma lança hoje a moda nas montanhas nos próximos invernos.

Os helvéticos atacam a questão da poluição ambiental criando objetos duráveis, com menos possibilidades de que se rompam e acabem sendo jogados no lixo. Quanto menos produção de lixo, melhor vai ser a qualidade da vida.

Móveis

Uma cadeira é para sempre, diz Javier Alberich, do estúdio de design Laisr, direto de Berna para Milão. A CH.air está apoiada em quatro pés fundamentais para o equilíbrio e a qualidade final do produto: linhas arrojadas, resistência, inovação e leveza. O assento, o encosto e as pernas são em fibra de carbono. As juntas são em alumínio.

Na gigantesca estrutura de vidro e aço que acolhe os visitantes do Salão do Móvel, em Rho, perto de Milão, estão os outros pavilhões com móveis de escritório, banheiros, cozinhas e design. Lá estão os representantes de 140 países. São empresas já consolidadas no mercado e que participam para exibir os seus produtos e fazer negócios.

Entre eles estao a DeSede, Jutzler AG, Thut Mobel, Vitra, Trinatura GmbH, Rothlisberger Kolllekiotn, empresas que já possuem um nome e uma fatia de mercado graças ao padrão de excelência de suas mobílias.

Eventos

O grande Salão Internacional do Móvel abre as portas para eventos multi-culturais. São cerca de 400 exposicões, mostras e instalações. O Centro Cultural da Suíça, no centro da cidade, cedeu o seu espaco para os alunos das Universidade Profissional da Suíça Italiana, SUPSI.

Os estudantes do curso de Master em Interação de Design trouxeram uma enorme caixa de madeira, um cubo gigantesco sem o teto. Uma escada permite ao espectador acompanhar o set fotográfico no interior. Ele foi decorado com símbolos helvéticos como um painel com a paisagem alpina, uma vaquinha, o símbolo de uma companhia aérea.

O visitante deve apenas entrar, escolher um objeto, posar para a câmera digital. Depois do flash ele aguarda cinco minutos e ganha a fotografia estampada. A experiência é uma forma de aproximar o espectador dos valores e dos símbolos da Suíça. A fotografia no papel se transforma no registro eterno e concreto de uma imersão instantânea e virtual na cultura helvética.

swissinfo, Guilherme Aquino, Milão

Salão Internacional do Móvel

O evento chega à sua edição 47, a nível nacional e 30 a nível internacional. Ele abriu no dia 16 e se encerrou no dia 21. É a maior feira do mundo para a exibição de camas, cadeiras, sofás, mesas, estantes, livrarias, objetos de decoração.

Neste ano o evento contou com a presença dos expositores de cozinha, móveis de escritório e banheiros. A mostra destes setores é bienal.

O Salão Satélite, dedicado aos jovens talentos, reuniu 570 designers e 22 escolas de design com 220 estudantes. Ele é considerado um celeiro de boas e novas idéias e muitos protótipos acabam entrando na linha de produção de grandes fabricantes.

A edição deste ano do Salão Internacional atraiu 2.450 exibidores e 5 mil jornalistas internacionais credenciados. Cerca de 270 mil pessoas, entre visitantes e operadores do setor deverão passar pela feira de Rho.

Aqui termina o infobox

Eventos paralelos

Eventos paralelos e multiculturais chegam a 400 em toda a cidade de Milão. Em um deles um iate de luxo foi transportado para um dos canais que cortam a cidade, o Naviglio. A idéia era mostrar como o design do interior dos barcos pode ser adaptado aos apartamentos de dimensões reduzidas. Muitos destes eventos vão continuar abertos durante o mês de maio. Entre eles está a exibição de obras públicas e privadas com materiais recicláveis e energia alternativa no pátio da Universidade Estatal de Milao.

O principal evento externo do Salão Internacional do Móvel é a exibição da Última Ceia, de Leonardo da Vinci. O mural do mestre foi copiado fielmente dentro do Palazzo Reale, no centro da cidade. O cineasta inglês Peter Greenaway, com um jogo de luzes e sombras projetado sobre a obra recriou movimentos e imprimiu gestos a histórica cena. Depois de muita polêmica o governo italiano aprovou uma exibição especial - ainda sem data marcada - no refeitório da igreja de Santa Maria delle Grazie, na parede aonde foi pintado o mural original.

Aqui termina o infobox


Links

×