Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Swissair corta 1.250 empregos

(Keystone)

A companhia aérea suíça teve um prejuízo de 234 milhões de francos (US 138 milhões) no primeiro semestre. Para tentar sair do vermelho, a empresa vai reagrupar a frota com a Crossair e simplificar a estrutura da direção.

A nova direção da Swissair está tentando salvar a companhia aérea suíça da falência. Mudou a estratégia expansionista da direção anterior e abandonou participações em companhias estrangeiras, com exceção da belga Sabena, vendeu sua rede de hotéis e imóveis mas, mesmo assim, continua no vermelho.

Desemprego

Com a divulgação do balanço do primeiro semestre (perda de 234 milhões de francos), um novo plano de reestruturação foi anunciado: as frotas da Swissair e da companhia regional Crossair serão reunidas e, com isso, mil empregos serão cortados. No ano passado, no mesmo período, o grupo teve lucro de 3 milhões.

A estrutura da direção também vai mudar suprimindo mais 550 cargos. Atualmente, o grupo Swissair tem 71.900 funcionários.

A única notícia boa do balanço foi o aumento de 8% do faturamento (8.138 bilhões) em relação ao mesmo período do ano passado.

Reduzir o endividamento

No primeiro semestre deste ano, os fundos próprios do grupo foram reduzidos de 716 para 555 milhões. A Swissair decidiu acelerar a redução do envidamento e um programa de venda de ativos vai render 3 bilhões de francos. No início de 2002, será vendida a rede de "free shops" do grupo e pretende também vender parte da Swissport, a filial de serviços de pista.

O objetivo é reduzir o endividamento para 2 bilhões de francos até o final de 2002 e a 1 bilhão no final de 2003.

swissinfo com agências

×