Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Técnicas genéticas questionadas

As novas técnicas podem atingir o mel.

(Keystone)

A Suíça organiza 4 simpósios internacionais para debater as técnicas genéticas. O primeiro - "riscos das alterações genéticas, ilusão ou realidade"? - acentuou o papel da pesquisa na avaliação de eventuais derrapagens...

No sentido de alimentar o debate sobre as novas técnicas genéticas, a Divisão Federal suíça de Meio Ambiente, Florestas e Paisagens (DFMFP) realiza neste ano e no ano que vem 4 simpósios internacionais.

O primeiro deles ocorreu dia 13, terça-feira, em Berna no sentido de apurar riscos, perspectivas e responsabilidades na aplicação de técnicas genéticas.

Na ocasião O diretor do DFMFP, Philippe Roch realçou a necessidade de a ciência avaliar as esperanças e riscos ligados a essas técnicas. Ele defendeu o reforço da pesquisa, enfatizando que a ciência está muito atrasada em relação à tecnologia na compreensão dos efeitos secundários resultantes de modificações genéticas.

O vice-diretor da Divisão, Bruno Eberlé, frisou que as conseqüências secundárias dessas técnicas provocam curiosidade e medo, mas que é preciso medir a veracidade e a amplitude delas.

O famoso e controvertido cientista americano, Jeremy Rifkin, presidente da "Foundation Economic Trends" (fundação sobre tendências econômicas) exigiu que "a vida não se torne uma marca registrada".

Para ele as novas técnicas deviam ser utilizadas para compreender melhor a natureza do homem e não para mudá-la. Em vez de curar doenças, ele estima que elas deviam ser evitadas através dessas técnicas.

Os diferentes participantes concordaram num ponto, o de que "risco zero" não existe. Mesmo falando unicamente de proudtos agrícolas, os cientistas não ousaram afirmar que os organismos geneticamente modificados - OGM - são totalmente inofensivos.

Aos riscos potenciais para a saúde acrescentem-se outros, relacionados com a disseminação de pólens geneticamente modificados na natureza. Por exemplo, os microorganismos que vivem no estômago das abelhas podem sofrer modificações genéticas após absorção desses pólens, questionando a pureza do mel.

Próximos simpósios:

Set/out 2000: "A política pode impor as técnicas genéticas"?
Maio 2001: "As técnicas genéticas são rentáveis"?
Out. 2001: "A responsabilidade da ciência nos domínios da genética, da cultura e da ética".

swissinfo com agências.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.