Navigation

Terroristas iraquianos são condenados na Suíça

Três dos quatro iraquianos julgados por planejar um ataque terrorista na Suíça por parte do grupo Estado Islâmico foram considerados culpados de apoiar uma organização criminosa pelo Tribunal Penal Federal na sexta-feira.

Este conteúdo foi publicado em 18. março 2016 - 17:00
swissinfo.ch com agências, swissinfo.ch com agências
Um dos réus ficou paraplégico no Iraque. Keystone

É a primeira vez que um veredito relacionado com as atividades do grupo terrorista é pronunciado na Suíça. Os três indivíduos foram condenados a penas de prisão, a mais longa de quatro anos e oito meses.

Os três iraquianos condenados foram presos no nordeste da Suíça, em 2015, enquanto que o quarto foi detido pelas autoridades suíças em julho de 2015. Eles foram acusados pelo Ministério Público suíço, que recebeu a denúncia de que estavam planejando um ataque em solo suíço de um serviço de inteligência estrangeiro.

A denúncia de 69 páginas revela que os acusados mantinham contato com líderes do grupo terrorista fora da Suíça, especificamente na Síria. O documento também traz mensagens codificadas do Facebook. "Cozinhando pão" significava fazer bombas; "melancias", explosivos e armas, enquanto que "noivos" referia-se aos homens-bomba, afirmou o Ministério Público suíço.

Na leitura da sentença, um juiz disse que era "extremamente reprovável" que os réus procuraram atacar um país que estava ajudando-os com seus serviços sociais.

Após a sentença, o Procurador Federal Michael Lauber disse estar "satisfeito" com o resultado e observou que a cooperação internacional - em especial um "acordo operacional" com os Estados Unidos - havia sido fundamental para assegurar o veredito.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.