Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente dos EUA, Donald Trump, durante reunião na Casa Branca 11/09/2018 REUTERS/Leah Millis

(reuters_tickers)

Por Jeff Mason e Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto nesta quarta-feira que ajudará a proteger as eleições do país de uma interferência estrangeira impondo sanções a países e outros agentes que tentarem atrapalhar, disseram autoridades dos EUA.

O decreto orientará as agências de inteligência a avaliarem se indivíduos ou entidades interferiram em uma eleição norte-americana, encaminhar essa informação aos departamentos de Justiça e Segurança Nacional e depois – com base em sua avaliação da validade e do impacto dessa inteligência – acionar sanções automáticas, disse o diretor de Inteligência Nacional, Dan Coats.

Uma comissão especial está investigando uma possível interferência russa na eleição presidencial de 2016 e se a campanha de Trump se mancomunou com Moscou. A Rússia nega a intromissão, e Trump desqualificou o inquérito dizendo ser uma "caça às bruxas".

A comunidade de inteligência terá 45 dias para fazer sua avaliação, e depois os dois departamentos terão 45 dias para determinar qual ação vem ao caso, disse ele aos repórteres em uma teleconferência.

Os departamentos de Estado e do Tesouro decidirão quais sanções adicionais apropriadas devem recomendar e impor, acrescentou.

As sanções podem incluir o congelamento de bens, a restrição de transações em moeda estrangeira, o limite do acesso a instituições financeiras dos EUA e a proibição de investimentos de cidadãos norte-americanos em empresas envolvidas, disse o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton.

Segundo ele, as sanções poderiam ser impostas durante ou após uma eleição, com base nos indícios recolhidos.

Bolton disse ainda que o decreto é necessário para garantir um processo formal e autorizações para as sanções, mas que também está conversando com parlamentares sobre uma legislação.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters