Perspectivas suíças em 10 idiomas

Espião confessa no Tribunal mas diz ser patriota

Espião israelense comparece ao Tribunal mas não revela identidade Keystone

O espião israelense preso em flagrante na Suíça comparece ao julgamento no Tribunal Penal federal, em Lausanne. Ele confessou que sua missão era grampear o telefone de um suspeito e diz ter agido por patriotismo. O veredicto é aguardado para sexta-feira.

O suspense foi mantido até o início da audiência no Tribunal Penal federal em Lausanne. Finalmente, minutos antes da hora marcada, o agente israelense entrou pela porta dos fundos, com a cabeça coberta e com forte esquema de segurança.

Preso em flagrante grampeando telefones em fevereiro de 98, ele passou dois meses em prisão preventiva e foi liberado sob fiança de 2 milhões de dólares com a garantia do Estado de Israel de que o agente compareceria ao julgamento.

A promessa foi portanto cumprida. O espião negou-se, no entanto, a revelar sua verdadeira identidade mas confessou ter agido sob ordem de seus superiores. Ele é acusado de cometer atos ilícitos em país estrangeiro e de falsa identidade e pode pegar até 20 anos de prisão. A vítima da escuta telefônica, um suíço de orígem libanesa, deve testemunhar hoje no Tribunal. O veredicto de sair sexta-feira.

swissinfo com agências

Preferidos do leitor

Os mais discutidos

Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR