Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Vinho Merlot completa um século no sul da Suíça

O Merlot, uva típica do Ticino.

(Keystone)

O Ticino, sul da Suíça e de língua italiana, comemora um século do "seu" Merlot. As festividades oficiais já começaram.

As primeiras tentativas de vinificação da uva Merlot começaram no início do século passado, provavelmente entre 1904 e 1905.

Foi em 1906. Esta data foi definitivamente fixada porque consta dos dados oficiais do Instituto Agrário de Mezzana, perto de Chiasso, no sul da Suíça. Mas foi preciso trabalhar e esperar até meados do século XX para que o Merlot se tornasse o vinho típico do Cantão do Ticino, de língua italiana.

"No início do século passado, os vinhateiros da região trabalham a uva Merlot de maneira inteiramente empírica. Só depois da Segunda Guerra Mundial, lá pelos anos 49-50 é que se começou a trabalhar de modo mais ... cienfífico", explica Eros Walter, presidente do comitê de organização do centenário "Merlot 06" e vice-presidente da Federação dos Viticultores do Ticino (Federviti).

O melhor período

Um século atrás, o vinhedo crescia sem controle, de maneira irracional no cantão do Ticino.

"As vinhas cresciam por todo lado, selvagelmente, nas fazendas. Com o passar dos anos, o vinhedo foi se transformando graças à mecanização aos progressos da enologia", conta o presidente de Merlot 06.

Mas foi só na década de 80 que a produção do Merlot do Ticino passou a ganhar fama. "Nosso vinho tornou-se conhecido fora de nossas fronteiras nos últimos 25 anos, sublinha Eros Walter. Primeiro, passou a ser vendido em outras regiões da Suíça, depois na Europa e no mundo."

Da Isabel...ao Merlot

Os esforçoos dos produtores do Ticino valeram a pena. Em 1906, surgiram os primeiros vinhos produzidos com uvas merlot. Nessa época começaram também as análise do vinhedo e, portanto, "a primeira análise oficial do Merlot", acrescenta Walter.

Antes, o vinhateiros da região cultivavam principalmente variedades híbridas como a Isabel. Segundo Mario Fregoni, professor de viticultura na Universidade Católica do Sagrado Coração (Itália) "a Isabel ficou na memória de algumas pessoas idosas por causa das doenças que essa variedade provocou entre consumidores".

Por isso, os viticultores tentaram cultivar outras variedades e acabaram por preferir o merlot, importado da França. "A escolha tornou-se exclusiva, acrescenta o professor Fregoni, transformando o vinhedo do Ticino em excravo da uva merlot".

Viticultura heróica

Mario Fregoni presidirá o Simpósio Internacional sobre o Merlot, em setembro, em Lugano. O especialista italiano acha que uva se adaptou meu no sul da Suíça.

Mas se ela foi tão bem implantada foi graças ao trabalho dos homens: "Com muito sacrifício, eles souberam construir uma viticultura heróica, em terreno inclinado e que se harmoniza com as belas paisagens do Ticino".

Hoje, a uva merlot representa 83% da superfície total do vinhedo da região.

A concorrência é dura

"Trata-se da mais vasta área do mundo cultivada por uma só variedade, sem cobinação de uvas", explica orgulhoso Eros Walter. Os 1.040 hectares de videiras estão divididos entre o norte e o sul do cantão, onde metade dos 200 viticultores locais produzem somente Merlot.

São comercializadas 5 milhões de garrafas por ano. 40% ficam no Ticino, 55% são vendidas em outras regiões da Suíça e 5% exportadas para a Europa e Estados Unidos. "Temos dificuldade em divulgar nosso Merlot na França porque a concorrência é muito dura", lamenta Eros Walter.

Longo prazo

E os projetos para o futuro? "O presidente de Merlot 06 explia que "por ocasião do centenário, a Secretaria regional de Turismo lançou uma campanha de promoção do Merlot em todo o mundo". Ele afirma ainda que a sucessão está garantida por três dezenas de jovens viticultores que já adquiriram uma boa reputação.

"Gostaríamos também de abrir um centro multimídia do vinho e da vinha no Castelo de Sasso Corbaro, em Bellinzona, um dos três castelos da região classificados no patrimônio mundial da Unesco. Mas receio que esse seja um projeto a longo prazo", conclui Eros Walter.

swissinfo, Gemma d'Urso

Breves

- O centenário do Merlot no Ticino é celebrado durante todo o ano 2006.

- As comemorações começaram em janeiro, em Lugano, e serão encerradas em novembro, em Chiasso.

- Conferências, exposições, jornadas de informação, festas populares, teatro, concertos e um simpósio internacional são organizados pelo comitê Merlot 06 para comemorar o vinho típico dessa região.

Aqui termina o infobox

Fatos

Em 1906 ocorreu a primeira vinificação oficial no Ticino, com uva merlot importada da França.
83% do vinhedo do Ticino é formado de uva merlot.
Os cem viticultores do Merlot produzem 5 milhões de garrafas por ano: 40% ficam na região, 55% são vendidas em outras regiões do país e 5% exportadas para outros países europeus e Estados Unidos.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.