Fraudes e crimes online seguem em alta na Suíça

Os casos registrados de fraude, incluindo fraudes eletrônicas, subiram 8% no ano passado. © Keystone

Embora crimes graves, como assassinatos, continuem a ser raros e o número de roubos diminua, fraudes e crimes online relacionados com pornografia continuaram a aumentar na Suíça em 2019.

Este conteúdo foi publicado em 24. março 2020 - 12:17
Keystone-SDA/dos

O número total de infrações ao código penal caiu em 2019 pelo sétimo ano consecutivo, anunciou na segunda-feira o Departamento Federal de Estatística (OFS).

Foram registrados cerca de 432 mil casos, o que representa uma queda de 0,2%. Isso inclui 36.419 assaltos a casas, uma queda de 50% em comparação com o ano recorde de 2012. Foram registrados 46 assassinatos, dos quais 29 relacionados à violência doméstica - um pouco acima da média de 10 anos, de 25. A polícia contabilizou 679 estupros, 53 a mais do que em 2018.

Problemas online

Os casos de fraude saltaram 8%, seguindo uma tendência de aumento, que aponta que tais casos dobraram em uma década. Isso pode estar ligado a um aumento maior da criminalidade online, calcula o OFS, embora acrescente que necessita de mais estatísticas antes de tirar conclusões.

Um total de 17.606 casos de fraude foram relatados no ano passado.

A Conferência dos Comandantes de Polícia Cantonal da Suíça (CCPCS), órgão de coordenação entre as forças policiais regionais, disse na segunda-feira que estava trabalhando para impulsionar o "trabalho em rede" entre as diferentes forças cantonais para combater o crime online.

Exemplos dessas infrações incluem o uso fraudulento de um computador (5.583 casos em 2019, um aumento de 598 em relação a 2018) e delitos relacionados à pornografia (2.387 casos, um salto de mais de 50%).

Também na segunda-feira, a polícia de Zurique advertiu contra o aumento das fraudes por causa do fechamento do país em reação à epidemia de coronavírus. As pessoas mais velhas, em particular, devem ter cuidado com as pessoas que batem à sua porta e se oferecem para comprar suprimentos ou desinfetar o seu apartamento. Embora atos de solidariedade sejam de fato comuns nas últimas semanas, algumas dessas ofertas são feitas por oportunistas, disse a polícia.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo