Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Zurique está fora da "Superbolsa"

"A bolsa suíça continuará sendo atrativa enquanto grandes empresas forem cotadas em francos suíços". A previsão é de especialistas suíços reagindo à fusão entre Londres e Frankfurt para criar a maior bolsa européia e terceira mundial.

Pelo menos por enquanto especialistas suíços acham que a bolsa suíça, em Zurique, não precisa se preocupar com as fusões anunciadas na Europa. Londres e Frankfurt vão formar a maior bolsa européia e terceira mundial, depois de Nova York e Tóquio. Em março, Paris, Bruxelas e Amsterdã haviam anunciado a criação da Euronext, produto da fusão entre elas, que vai operar a partir de setembro.

Jean-Pierre Béguelin, do Banco Pictet & Cie., acha difícil avaliar os efeitos a longo prazo para a bolsa suíça mas afirma que ela poderá resistir enquanto grandes empresas forem cotadas em francos suíços.

As fusões na Europa obedecem à lógica do Euro, moeda única européia, segundo outros especialistas. Como os mercados cresceram muito nos últimos anos, fica mais difícil e sobretudo mais caro tratar com bolsas nacionais. Existe ainda a questão tecnológica, com investimentos altos para introduzir dos sistemas eletrônicos. A presidente da Bolsa suíça, Antoinette Hunzicker-Ebneter, acha que "já foi o tempo" das bolsas nacionais.

Outros analistas apostam que haverá futuramente uma única Bolsa européia, formada pelas 7 ou 8 principais, entre elas a Bolsa suíça. Em todo caso, o conceito da Bolsa eletrônica suíça está entre os mais avançados da Europa.

swissinfo com agências.





Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.