Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Dia Nacional da Suíça - 1° de Agosto


Guilherme Tell e a Estátua da Liberdade







A estátua de Guilherme Tell e seu filho, Walter, em Nova Iorque (fotomontagem). (zVg)

A estátua de Guilherme Tell e seu filho, Walter, em Nova Iorque (fotomontagem).

(zVg)

Ele não move montanhas, mas já transformou com suas projeções as montanhas Matterhorn e Jungfrau em gigantescas bandeiras suíças de pedra: o artista suíço Gerry Hofstetter. Por ocasião do Dia Nacional da Suíça, em 1° de agosto, o zuriquense de 54 anos leva o famoso herói suíço Guilherme Tell para Nova Iorque. Assim ele transforma Tell, seu filho Walter e a Estátua da Liberdade em uma "família que luta pela liberdade e independência como valores fundamentais da humanidade".

Hofstetter divide claramente o mito da realidade. "Não, o Guilherme Tell não atirou em nenhuma maçã. Mas dessa vez ele vai à 'Big Apple'."

Mais exatamente, à "Rat Island", a pequena ilha rochosa frente ao bairro do Bronx, que é a única ilha privada de Nova Iorque. Ela pertence à dois suíços emigrados para os EUA. Eles ajudaram a realizar o projeto de Hofstetter.

O documento original de Tell, talhado na pedra, está localizado na cidade de Altdorf, no cantão de Uri. Ela mostra o herói barbudo, com a besta no ombro e o outro braço protegendo seu filho, Walter. 

Esse artigo faz parte do dossiê  #DearDemocracy, a plataforma de democracia direta da swissinfo.ch.

A cópia original realizada por Hofstetter tem quatro metros como a estátua de Altdorf, porém ela é feita de poliéster e resina.

No domingo, em 31 de julho, Hofstetter e os dois anfitriões, assim como 80 convidados, vão de barco à ilha, onde a estátua será inaugurada.

Direito à liberdade e independência

Com sua ação o artista suíço lembra o principal significado da figura de Guilherme Tell: a luta pela liberdade e independência. „Suas crenças nesses valores fizeram de Tell um forte símbolo."

Dois papéis não foram assumidos pela obra de Hofstetter apresentada em Nova Iorque: "Ele não é o inventor da democracia, mas muito mais a sua origem. Foram os americanos que inventaram a democracia. Nós suíços a adotamos e aperfeiçoamos."

E para o artista, o mais importante: Guilherme Tell não deve ser visto como um político. "Tell apoia a Estátua da Liberdade e os dois transmitem e reforçam os direitos humanos como direitos fundamentais da humanidade."

As duas estátuas não se abraçam. Guilherme Tell e seu filho estão distantes 28 quilômetros da Estátua da Liberdade, mas podem se "olhar" diretamente.

"Repúblicas-irmãs"

A ação promovida por Hofstetter é um projeto da amizade entre a Suíça e os Estados Unidos. Os dois países são considerados "repúblicas-irmãs", pois a constituição dos Estados Unidos (1776) inspirou a da Suíça (1848).

O artista suíço se tornou conhecido pelas projeções gigantescas. Em 2012, ele projetou o Titanic em tamanho natural sobre um iceberg no Ártico. O motivo foi o centésimo aniversário do naufrágio do navio.

Ele também projetou a bandeira suíça sobre as montanhas Matterhorn (2005) e Jungfrau (2012).  


Adaptação: Alexander Thoele, swissinfo.ch

×