Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Remuneração dos atletas


Medalha de ouro, mas sem dinheiro


Incorporar

Ganhar ouro nas Olimpíadas exige anos de treino. Alguns atletas suíços chegam a gastar todas suas economias para alcançar esse sonho. (SRF, swissinfo.ch)

Heidi Diethelm conquistou uma medalha de bronze para a Suíça na modalidade de tiro com pistola a 25 metros. Para chegar lá foi necessário investir o próprio dinheiro.

A atiradora pediu demissão do emprego dois anos antes da Rio-2016 para se dedicar inteiramente aos treinos. Ela recebeu 75 mil francos dos patrocinadores, dinheiro destinado a gastos diversos, inclusive a participação nas competições.

Mario Gyr tem uma história semelhante. Ele é um dos quatro atletas de uma equipe suíça de remo que ganhou medalha de ouro na Rio-2016. A equipe não viu dinheiro até ganhar as primeiras medalhas. Afinal, a política suíça de esporte prevê premição só após conquistas esportivas.

Roger Schnegg, diretor da Federação Olímpica Suíça, explica que a maioria dos jovens atletas só conseguem praticar o esporte em alto nível com ajuda dos familiares. Porém existem exceções.

Um relatório de 2013 mostrou que quase metade dos atletas de ponta na Suíça tiveram uma renda média de 14 mil francos ao ano (a linha de pobreza na Suíça está estimada em 26.400 francos). Menos do que 100 desses atletas vivem realmente do esporte, como mostra o relatório encomendado pelo Instituto Federal de Esportes de Magglingen.

Schnegg declarou ao ser entrevistado por um canal público de televisão que se a Suíça investir mais nos atletas de ponta, a imagem do país no exterior será beneficiada. O Parlamento federal em Berna discutirá ao longo do ano a questão.