Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Mortalidade de jovens Acidentes de trânsito e suicídios não explicam tudo

Todos os anos, na Suíça, de 1000 jovens adultos (15-39 anos), apenas uma mulher e dois homens perdem a vida. Esse dado, positivo em termos absolutos, disfarça um excesso de mortalidade residual relacionado a suicídios e acidentes de trânsito, mas também desigualdades significativas.

Voiture accidentée

Graças às medidas de prevenção, a mortalidade de jovens relacionada com acidentes rodoviários diminuiu

(Keystone)

Desde que existem estatísticas nacionais, a expectativa de vida na Suíça explodiu de cerca de 40 anos em 1876 para quase 85 anos hoje, disse um comunicado do Centro Nacional de Pesquisa LIVES "Superando a vulnerabilidade: perspectiva da trajetória de vida" (PRN LIVES).

Apesar destes avanços, os jovens adultos continuam a sofrer de um excesso de mortalidade em comparação com o que seria esperado, dada a saúde geral deles. Em comparação com a mortalidade infantil e a idade adulta, esta anomalia persiste e provoca uma "corcunda" distinta nas taxas de mortalidade específicas por idade, principalmente devido a taxas mais elevadas de suicídio e acidentes fatais.

Conteúdo externo

Graphique sur l'évolution de l'espérance de vie

Essa "corcunda", no entanto, nunca foi totalmente explicada, julgamentos apressados muitas vezes superam a abordagem científica e destacam comportamentos arriscados que seriam exclusivos da juventude ou da área da responsabilidade individual. A equipe de Adrien Remund, do Instituto de Demografia e Economia Social da Universidade de Genebra, tentou ver o problema com mais clareza.

Causas

Em primeiro lugar, o excesso de mortalidade de jovens adultos se aplica tanto a mulheres jovens quanto a homens jovens, mesmo que para eles o fenômeno seja mais acentuado.

Em segundo lugar, as causas de morte não são tão limitadas quanto inicialmente pensadas. De fato, até meados do século XX, a grande maioria era atribuível à tuberculose e, para as mulheres, à mortalidade materna.

Foi somente a partir da democratização dos veículos motorizados no pós-guerra que os acidentes de trânsito se tornaram a principal causa da mortalidade juvenil, antes de serem superados pelos suicídios na década de 1970.

Por algum tempo, no entanto, houve um declínio notável nas mortes nas estradas e suicídios, observa o autor. Com a consequência de que este problema é provavelmente menos enfatizado hoje do que dez ou vinte anos atrás.

Desigualdades sociais

Em terceiro lugar, nas discussões de políticas públicas para combater os novos males da juventude, a questão da desigualdade social raramente tem sido central. No entanto, fortes desigualdades persistem.

Por exemplo, foi demonstrado que, entre as pessoas de 15 a 35 anos que viviam na Suíça entre 1990 e 2008, estar desempregado, por exemplo, dobra o risco de morte. O abandono escolar aumenta esse risco em 60% e o fato de crescer em uma família monoparental em 50%, tal como ser originário de um país de fora da Europa.

Por outro lado, um jovem com apenas a escolaridade obrigatória tem quase o dobro da probabilidade de morrer do que alguém com ensino superior. Como esses fatores de risco costumam se acumular, existem proporções de 1 a 100 entre os indivíduos mais protegidos e os mais vulneráveis.

Juventude desfavorecida

De fato, dizem os pesquisadores, é possível mostrar que quase dois terços dos jovens adultos que vivem na Suíça não são afetados pelo excesso de mortalidade. Só a vulnerabilidade dos jovens desfavorecidos é suficiente para gerar o excesso de mortalidade observado no nível geral.

Esta descoberta empírica tripla leva os cientistas a reconsiderar sua concepção da mortalidade de adultos jovens na Suíça e em outros lugares. Os esforços feitos até agora em termos de prevenção, especialmente a segurança nas estradas, certamente levaram a uma diminuição geral, mas eles foram incapazes de superar as desigualdades, por vezes abismais, entre jovens de origens privilegiadas e os mais vulneráveis.

Uma verdadeira política de prevenção começaria pela definição de uma estratégia para melhor direcionar os jovens mais vulneráveis. Essas metas de saúde pública passarão provavelmente pela luta contra a evasão escolar e econômica, que atualmente é o principal fator de risco, concluem os autores.


swissinfo.ch/fh

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.