Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Sion demite brasileiro após suposta visita a cassino

Santos foi demitido do Sion, mas recorre à Justiça.

(Keystone)

O FC Sion, sexto colocado do campeonato da primeira divisão do futebol suíço, demitiu o jogador brasileiro Antônio Carlos dos Santos, sob acusação de que ele frequentou um cassino até a madrugada.

O advogado do jogador com dupla nacionalidade, que chegou a ser cotado para a seleção suíça, desmente a acusação, recorre à Justiça e garante que o clube irá perder o processo.

Primeiro tempo

Segundo um comunicado divulgado pelo clube na segunda-feira (29/3) à noite, "o jogador Antônio dos Santos confirmou ter frequentado o Casino de Montreux até as 3h30, na véspera do confronto entre o FC Sion e FC Basileia (2 a 2) em 27 de março de 2010".

"Esta atitude contraria claramente os termos de seu contrato e as regras de comportamento que se pode exigir de um jogador profissional. Consequentemente, a direção do FC Sion decidiu hoje rescindir seu contrato com efeito imediato por justa causa", informou o clube em seu site na internet.

Em entrevista ao jornal Le Matin, da Suíça francesa, o presidente do FC Sion, Christian Constantin, justificou a demissão: "Não quero pagar um jogador que vai para a cama quando eu levanto. Isso não é um comportamento esportivo."

"Constantin perde este processo"

O empresário de Santos, Adrian Bachmann, um advogado de Zurique, garante que a acusação do Sion é falsa. "Isso não confere. O jogador também não fez qualquer confissão", disse ao jornal Tages-Anzeiger.

"Ele foi chamado ao escritório pelo gerente do clube, Frédéric Chassot, então Constantin juntou-se ao dois e Santos foi pressionado a admitir que teria frequentado o cassino até as 3h30", disse Bachmann.

Bachmann anunciou que levará o caso à Justiça para que Antônio dos Santos receba pelo menos o salário a que tem direito até o final da atual temporada. "Constantin pegou a pessoa errada. Constantin irá perder este processo", afirmou.

O presidente do Sion disse que espera a continuação do caso diante da Justiça. "Daí vamos descobrir ainda mais sobre o que o jogador se permitiu fazer." Ele promete novas revelações para a próxima sexta-feira.

"Esperança da seleção suíça"

Nascido em 3 de março de 1979, o meio-campista Antônio Carlos dos Santos passou pelas equipes juvenis do Marechal Rondon (Paraná), Grasshoppers de Zurique II, Frauenfeld, FC Baden, Schaffhausen e FC Thun. O brasileiro-suíço chegou a ser visto como "uma esperança para a seleção suíça de futebol".

Em setembro do ano passado, foi transferido do Grasshoppers para o Sion, onde estava na reserva e atuou apenas por 82 minutos. Segundo o site transfermarkt.de, seu valor de mercado é estimado em 600 mil euros.

Em entrevista ao site sportalplus.com, no último sábado, ele disse que se sentia "miserável" e lamentou sua transferência para o FC Sion. "No treino, tudo corre bem, estou entre os melhores. Mas no dia do jogo não são escalados os melhores jogadores", disse.

Multa de 90 mil francos

Três outros jogadores do FC Sion também foram punidos e denunciados publicamente pela direção do clube: o costa marfinense Geoffrey Serey Die, "por visita a estabelecimentos impróprios a seu contrato", o macedônio Aleksandar Mitreski e sérvio-suíço Aleksandar Prijovic, ambos por "falhas graves de comportamento" relacionadas ao jogo entre o Sion e o Grasshoppers em 17 de março de 2010.

Constantin acredita que houve "algo de podre" naquele jogo, que o Grasshoppers venceu por 2 a 0. Aos 38 minutos do primeiro tempo, Serey Die foi expulso por ter agredido um adversário no rosto. O FC Sion aplicou uma multa recorde de 90 mil francos ao jogador, segundo informou o jornal Blick.

"Devido a informações plausíveis, a Polícia Federal abriu investigações", disse o presidente do clube, Christian Constantin, ao jornal Sonntag. Um vínculo deste caso com o escândalo internacional das apostas, porém, já foi descartado.

No suposto "maior escândalo de fraude no futebol europeu", revelado pela Promotoria Pública de Bochum (Alemanha) em novembro de 2009, foram levantadas suspeitas sobre 22 partidas da segunda divisão e seis jogos-testes do futebol suíço, entre elas, o amistoso entre o Sion e o clube bósnio NK Travnik (4 a 1) – veja link acima.

Geraldo Hoffmann, swissinfo.ch (com agências)

FC Sion

O FC Sion, fundado em 1909, no Valais (sudoeste), foi duas vezes campeão suíço (1992 e 1997) e venceu 11 vezes a Copa da Suíça.

O presidente Christian Constantin é empresário da construção e dono de um escritório de arquitetura de renome internacional.

Na mídia suíça, Constantin é conhecido por seu "estilo excêntrico" de dirigir o FC Sion.

Aqui termina o infobox

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.