Navigation

Anistia Internacional critica a Suíça

Anistia Internaciona cita casos de violência contra estrangeiros por parte de policiais de Zurique e Genebra. Keystone

Relatório 2003 da Anistia Internacional denuncia o tratamento dado por policiais suíços a solicitantes de asilo e outros estrangeiros.

Este conteúdo foi publicado em 28. maio 2003 - 12:39

A organização de defesa dos direitos humanos cita casos ocorridos em Zurique e Genebra.

Em todo o mundo, revela a Anistia Internacional (AI), os governos gastaram somas consideráveis para reforçar a segurança e intensificar a luta contra o terrorismo.

"Porém os habitantes do planeta nunca viveram um período de tanta insegurança", afirma Irene Kahn, secretária geral da organização.

No relatório de 2003, como ocorre todos os anos durante o mesmo período do ano, a Anistia Internacional denuncia países onde os direitos humanos não são respeitados. Dessa vez até a Suíça foi incluída na lista, por uma questão de segurança.

Estrangeiros são maltratados

Nesse ano, AI denuncia mais uma vez o "o recurso à violência no tratamento dado por policiais aos solicitantes de asilo político e outros estrangeiros". Para reforçar suas acusações, a organização cita dois casos ocorridos em Genebra e Zurique.

Segundo o relatório, policiais teriam maltratado e dirigido insultos racistas a solicitantes de asilo político, que se encontravam na área de trânsito do aeroporto de Kloten, em Zurique.

Uma forma de pressão

Citado pela Anistia Internacional, o Comitê europeu para a prevenção da tortura (CPT) explica que o comportamento dos policiais tinha por objetivo desestimular estrangeiros a pedir asilo político na Suíça e obrigá-los a aceitar um repatriamento voluntário.

AI cita igualmente o caso de uma mulher dos Camarões. Ela e o seu bebê foram presos pela polícia em agosto de 2002, em Genebra. A mulher africana acusa os policiais de agressão e injúria racista. A polícia nega as acusações. Ao mesmo tempo, um processo administrativo foi aberto para investigar o assunto.

Preocupação da ONU

Para apoiar suas críticas, a Anistia Internacional se refere igualmente às declarações do Comitê da ONU para eliminação da discriminação racial.

Esse comitê se disse "preocupado com a persistência da Suíça de manter uma atitude hostil em relação a negros, muçulmanos e solicitantes de asilo".

swissinfo com agências

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?