Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Austríacos esperam "milagre de Viena" na Eurocopa

O "rei futebol" toma conta de Viena nas próximas três semanas.

(Keystone)

A seleção austríaca, co-anfitriã da Eurocopa, estréia no torneio neste domingo contra a Croácia na condição de absoluta zebra, mas há quem acredite na passagem para as quartas-de-final.

No segundo jogo do Grupo B, a Alemanha enfrenta a Polônia como franca favorita e quer responder em campo à "guerra do futebol" declarada pela mídia polonesa.

Às vésperas da estréia da Áustria na competição, o clima em Viena era de uma estranha calma, uma mistura de tensão, alegria e medo. "Futebol, cultura e concertos" era a palavra de ordem.

As bandeirinhas brancas e vermelhas enfeitam os carros, graças a uma permissão ministerial especial para a Euro. Normalmente, só veículos oficiais podem usar bandeiras.

"Estamos prontos", declara o técnico austríaco, Josef Hickersberger, que já definiu sua equipe após o empate de 1 a 1 com a Nigéria e da vitória de 5 a 1 sobre Malta – ambos jogos amistosos.

Embora ninguém acredite na seleção, vários de seus jogadores tentaram fortalecer sua auto-confiança, falando abertamente nos últimos dias sobre a possibilidade de passar às quartas-de-final.

De qualquer forma, a Euro é uma enorme chance para o futebol austríaco. "A gente cresce de acordo com a tarefa", diz um ditado no país alpino.

Grande festa

"Queremos fazer da Euro uma grande festa", disse o chefe do governo austríaco, Alfred Gusenbauer. A Áustria deve se apresentar como país do charme e da competitividade esportiva, acrescentou.

Um estudo recente da Universidade de Viena apontou que, apesar de apenas 40% dos austríacos se interessarem por futebol, 77% vão acompanhar os jogos da Euro. Viver emoções em grupo seria a principal motivação.

A polícia austríaca proibiu seus 27 mil soldados de tirar férias nas próximas três semanas e buscou um reforço de 1121 homens dos países participantes do torneio. Eles estariam em condições de "limpar" em poucos minutos uma fanmeile como a de Viena, que tem capacidade para até 75 mil torcedores diante dos telões.

Com a bola também rola o euro (moeda). De acordo com o Ministério austríaco da Economia, a Euro vai injetar cerca de 630 milhões de euros na economia do país. O efeito "sustentável" da publicidade para o turismo traria outros 250 milhões de euros.

Portanto, independentemente de a seleção co-anfitriã passar ou não às semifinais, num ponto há consenso no país: a Áustria já ganhou com a Euro.

swissinfo, Karin Wolfsbauer, Viena

Tensão em Klagenfurt

Há um consenso entre casas de aposta, especialistas e fãs de que a Áustria não tem qualquer chance na Eurocopa. Se não fosse co-anfitriã, não participaria do torneio.

Em seu primeiro jogo, neste domingo em Viena (18h, horário local), enfrenta a Croácia, para quem perdeu os três jogos disputados até agora. Enquanto os austríacos esperam um milagre, os croatas sonham com o título.

Bem diferente é a situação no segundo jogo do dia, Alemanha x Polônia, às 20h45 em Klagenfurt. Os poloneses perderam 11 dos 15 jogos disputados com os alemães, o último deles quando foram eliminados da Copa 2006 (os outros quatro foram empates).

Esse jogo promete ser tenso e turbulento dentro e fora de campo. Nos últimos dias, jornais sensacionalistas poloneses iniciaram uma "guerra do futebol" contra a seleção alemã (veja link abaixo). Neste sábado, a polícia prendeu sete torcedores alemães em Klagenfurt que cantavam canções racistas contra os poloneses.

Aqui termina o infobox


Links

×