Centenas de alunos em quarentena na volta das férias

Nem todas as escolas suíças exigem o uso de máscaras em sala de aula - por enquanto. Keystone / Alexandra Wey

O período escolar começou na maioria dos cantões, mas os regulamentos de quarentena obrigam centenas de alunos a ficarem em casa. A Federação de Professores Suíços diz que este é o caso para uma média de um a dois alunos por classe. 

Este conteúdo foi publicado em 21. agosto 2020 - 14:41
SRF/Blick/Keystone-SDA/swissinfo.ch/RSI/ilj

As pessoas que entram na Suíça provenientes de países "de alto risco", que incluem EUA, Brasil, a Espanha e algumas nações dos Bálcãs, devem passar por uma quarentena de dez dias ou arcar com uma multa. Isto inclui os alunos que deveriam começar a escola. 

De acordo com uma pesquisa do tablóide Blick, há 690 alunos de todos os níveis escolares em quarentena após as férias no cantão de Zurique (que voltaram às aulas na última segunda-feira). Nos cantões de St. Gallen e Basileia-Cidade (ambos iniciados em 10 de agosto), há 100 e 70 alunos, respectivamente, em quarentena. 

A diretora da Federação de Professores Suíços disse que não se surpreendeu com os números. "Se formos honestos, estamos felizes que os alunos estejam levando a sério as medidas de proteção e ficando em casa, em vez de vir à escola e potencialmente infectar os outros", disse Dagmar Rösler à televisão púbica suíça SRF. 

Ela disse que, em média, pelo que tinha ouvido, cerca de 1-2 alunos por classe estão faltando na escola. Rösler disse que a maioria dos ausentes estava fazendo os trabalhos escolares em casa, em vez de qualquer aprendizagem à distância.  

Rösler disse que era importante reagir com medidas extras caso o número de casos de coronavírus continuasse aumentando - na sexta-feira o número total de novos casos em toda a Suíça era oficialmente mais de 300. "Tive discussões sobre se as máscaras deveriam ser introduzidas em escolas inteiras". Ainda não chegamos lá. Mas acho que temos que tentar tirar o melhor proveito da situação e proteger alunos e professores o máximo que pudermos no momento", disse ela. 

Diferentes abordagens 

Os cantões - que são responsáveis pelos assuntos educacionais na Suíça - têm abordagens diferentes sobre como lidar com as questões de quarentena nas escolas, com muitos colocando ênfase na responsabilidade dos pais. 

No cantão de St. Gallen, as autoridades ameaçaram multar os pais se as crianças ignorassem a quarentena no início do período. De acordo com o Blick, porém, ainda não foram distribuídas multas.  

Já houve casos de turmas inteiras entrando em quarentena em alguns cantões que mal recomeçaram as aulas: como no cantão de Berna (uma turma do jardim de infância e duas da escola primária devido à infecção de um professor) e no cantão de Solothurn (seis turmas em quarentena).  

Alguns cantões da parte francófona do país, como Genebra, começarão o período escolar na próxima segunda-feira. O cantão do Ticino, duramente atingido pelo coronavírus devido a sua proximidade com a Itália, começará em 31 de agosto. As autoridades de lá não descartaram a hipótese de colocar classes inteiras em quarentena, caso seja necessário (por exemplo, mais tarde no outono, quando poderia haver um ressurgimento de casos). 

A questão da máscara 

Em alguns cantões, as máscaras são obrigatórias para alunos maiores de 15-16 anos. Em Berna, dois alunos de um Gymnasium (ensino médio que prepara para a universidade) testaram positivo para corona, mas seus colegas de classe estavam usando máscaras, portanto não entraram em quarentena. 

Atualmente não há imposição de marcas faciais nas escolas primárias devido à opinião na Suíça de que os menores de 12 anos são menos afetados pelo coronavírus. 


Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo