Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Cidade suíça está pronta para receber a Seleção

No comércio é só Brasil

(Keystone)

A Seleção Brasileira passa duas semanas na Suíça, entre 22 de maio e 4 de junho, antes de defender o título na Copa da Alemanha. Ela fica hospedada em Weggis, às margens do Lago dos Quatro Cantões, uma das regiões mais turísticas do país.

E a cidade se transformou para receber os atletas canarinhos.

A Suíça por pouco não se transforma na ante-sala da Copa do Mundo. Além das seleções do Brasil e da própria Suíça, outras quatro seleções vêm à Suíça para preparar o Mundial: Alemanha, Irã, Tunísia e Ucrânia.

Tudo em verde e amarelo

Para receber os craques do Brasil, o vilarejo de 3.886 habitantes se transformou e provavelmente não voltará a ser o mesmo: onde havia um velho campinho de futebol de quinta liga amadora, foi construído um estádio para cinco mil torcedores, com grama importada da Holanda; crianças e adultos aprendem português ou, pelo menos, decoram algumas expressões; as lojas estão todas decoradas com as cores do Brasil e até uma vaca já foi pintada de verde e amarelo!

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tinha mais de 40 propostas de estadia na Europa, para as duas semanas de preparação final dos jogadores. Segundo a CBF, foi a Fifa que indicou Weggis como possível local de treinamento.

CBF ainda recebe dinheiro

A calma reinante na região deve ter sido levada em conta mas também houve o aspecto financeiro da questão. Além de não gastar um centavo com a estadia em Weggis, a CBF ainda vai receber aproximadamente 1,2 milhão de dólares.

A soma, foi paga pela agência suíça de marketing esportivo Attaro AG. Pelo contrato, a agência organiza e explora os dois amistosos que o Brasil fará na Suíça. Ela foi confirma a swissinfo pelo dono da Attaro, Philippe Huber. Ele precisou ainda que sua agência vai faturar 15 milhões de francos suíços em ingressos, publicidade, direitos de transmissão.

Os ingressos para os 14 treinos previstos em Weggis e os dois amistosos em Basiléia (dia 30 de maio contra o FC Lucerna) e Genebra (dia 4 de junho contra a Nova Zelândia) foram todos vendidos em alguns dias.

Hotel exclusivo

Prevendo a grande publicidade em torno da estadia dos brasileiros, quatro secretarias de turismo da região e o Park Hotel Weggis se juntaram para aproveitar a oportunidade de promover uma alternativa ao turismo clássico que começou no século XIX. Futuramente, outras seleções e clubes poderão vir a Weggis seguindo os passos da seleção.

A delegação brasileira vai ocupar os 43 quartos do Park Hotel Weggis, único cinco estrelas do vilarejo, que estará praticamente fechado aos olhares e presenças indiscretas para não incomodar os jogadores.

- Além das câmaras de televisão em todas as áreas do hotel, podemos fechar as portas e entradas apertando simplesmente um botão ao menor sinal de alerta – revelou o subgerente Philipp Musshafen a swissinfo.

O novo estádio

Entre os muitos detalhes, o Hotel reformou até a praia de areia fina à beira do lago, caso alguma estrela queira passear por ali.

O novo estádio, batizado de Thermoplan Arena, custou aproximadamente 1 milhão de francos e foi pago pelo empresário Dominic Steiner, produtor de máquinas de café industriais. O detalhe é que a fachada da fábrica de Steiner ocupa parte da lateral do estádio, portanto um espaço publicitário que estará sendo exibido em muitos países durante os treinos da seleção.

- As câmeras de TV não vão mostrar apenas as estrelas da Seleção Brasileira, mas também o nosso logotipo, a marca e também o prédio da empresa – disse Dominic Steiner a swissinfo.

Ele explica que quando os técnicos da CBF viram o antigo estádio de Weggis, disseram que não era possível e que iriam se hospedar em outro lugar. Como a comuna não tinha verba para a construção, ele resolveu então contribuir e pagar o novo estádio do próprio bolso.

Tudo pronto

Em março, durante sua última visita à Suíça, o técnico da Seleção Carlos Alberto Parreira não poupou adjetivos para elogiar as belezas naturais de Weggis.

- É um local paradisíaco com essa tranqüilidade, o lago e essas montanhas - disse ele, confirmando o acerto da decisão de levar a seleção pentacampeã para uma estadia de duas semanas, pouco antes do início da Copa.

Mas é claro que em Weggis ninguém se esquece dos negócios.
O Park Hotel Weggis, vai leiloar pernoites nos quartos dos cinco craques mais conhecidos logo após a partida da Seleção para a Alemanha.

O leilão começou dia 15 de maio na plataforma suíça do gigante do comércio eletrônico eBay (www.ebay.ch) e dura quatorze dias. O lance inicial é de 200 francos suíços (US$ 162) por cada quarto.

Dominic Keller, responsável pelo turismo em Weggis disse que há muita expectativa na cidade para ver os jogadores de perto. Ele acrescentou que estão todos em alerta para que tudo seja perfeito na recepção dos campeões do mundo.

Swissinfo, Claudinê Gonçalves e Alexander Thoele

Breves

- A Seleção Brasileira faz sua preparação para o Mundial em Weggis, cidade suíça às margens do Lago dos Quatro Cantões.

- A estadia foi organizada através de um contrato com agência suíça de eventos e marketing esportivo Attaro AG.

- A agência pagou 1,2 milhão de francos à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Toda a estadia das 50 pessoas que compõem a delegação brasileira é gratuita.

- A Attaro comecializou os ingressos, publicidade e direitos de transmissão dos treinos e dos dois jogos amistosos que o Brasil fará na Suíça (em Basileira e Genebra). O faturamento previsto é de 15 milhões de francos.

- Um empresário de Weggis pagou 1 milhão de francos para a construção do estádio Thermoplan Arena, onde a seleção vai treinar.

- Com a publicidade, Weggis pretende atrair mais turistas e outras equipes para treinar posteriormente.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.