Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Cidades-sedes recebem boas notas pela segurança

Forças de segurança devem agir com simpatia e determinação em relação aos torcedores.

(Keystone)

A estratégia de segurança das cidades-sede da Eurocopa 2008 está no caminho certo, mas ainda apresenta deficiências na coordenação e na comunicação com os fãs, diz relatório.

Suíça e Áustria farão um torneio de futebol seguro, se melhorarem a coordenação de algumas áreas de segurança, afirma um grupo de especialistas.

"As quatro cidades-sede suíças (Basiléia, Berna, Genebra e Zurique) estão no caminho certo em seus prepativos para a Eurocopa", disse à swissinfo o pesquisador de comportamento Otto Adang, da Academia de Polícia Holandesa, durante a apresentação de um relatório sobre o esquema de segurança do torneio, em Solothurn, no centro da Suíça.

"E se elas implementarem a estratégia conforme a concepção, não há motivos para que não funcione."

A valiação de Adang baseia-se numa auditoria que ele fez juntamente com oficiais de polícia em quatro partidas nacionais e internacionais disputadas entre agosto e dezembro de 2007 na Suíça.

Melhoras necessárias

Os relatórios finais entregues aos responsáveis pela segurança das cidades-sede contêm também sugestões de melhoras. É preciso aprimorar, por exemplo, a estratégia que combina "o diálogo e a contenção de conflitos com medidas de repressão".

A implementação da estratégia, "que é muito boa", ainda pode ser melhorada na prática, disse Adang, que é consultor da União Européia de Futebol para operações policiais em jogos de futebol.

Simpatia e determinação

Adang atribuiu um peso especial à perfeita coordenação entre as forças de segurança dos cantões (estados) e dos países participantes do Euro 2008 que apóiam as cidades-sede.

É preciso garantir que todas essas forças de segurança, inclusive as privadas, sigam a mesma doutrina, ressaltou. Além disso, é importante uma estratégia única de comunicação com as torcidas, acrescentou.

Segundo o perito, as forças de segurança precisam conhecer os hábitos dos grupos de fãs dos diferentes países. Elas precisam saber também como eles reagem diferentemente num "encontro" com a polícia.

Na Copa 2006 na Alemanha e na Eurocopa 2004 em Portugal, a ação simpática mas determinada da polícia deu certo.

"É importante que não se trate todos os torcedores como potenciais hooligans e, sim, como pessoas que quer terem uma boa estadia no país. E isso vale para 99% dos visitantes", disse Adang.

"A Suíça convidou as pessoas para o torneio. Ela deve, portanto, se comportar como boa anfitriã até o ponto em que os torcedores deixem de se comportar como bons convidados", sugere.

Correções previstas

"Ainda temos tempo para fazer correções", disse Martin Jäggi, coordenador da área de segurança do projeto Euro 2008 do poder público. Na Suíça, porém, não serão disputadas partidas de altor risco, acrescentou.

Os representantes das forças de segurança pretenden implementar as recomendações de Adang e farão treinamentos especiais para tanto, disse o comandante da polícia do cantão de Berna, Stefan Blättler.

„Vamos intensificar também a troca de informações com os serviços de segurança privados", anunciou o vice-comandante da polícia de Zurique, Gerhard Lips, que vê a necessidade aperfeiçoar o controle nas entradas dos estádios.

Todas as forças de segurança usarão o mesmo unifome, disse o comandante da polícia de Genebra, Christian Cudré-Mauroux. A cooperação com as administradoras dos estádio será melhorada.

A polícia da Basiléia planeja disponibilizar mais informações para os torcedores, anunciou Thomas Steinmann, encarregado do esquema de segurança naquela cidade-sede, onde as forças de segurança não usarão os uniformes laranja, inicialmente previstos, para não serem confundidos com os torcedores da Holanda.

swissinfo com agências

Breves

A estratégia de segurança da Suíça baseia-se no planejamento bem-sucedido da segurança na Copa 2006 na Alemanha. Os organizadores ressaltem que o torneio deve ser um festa e não uma fortaleza.

O objetivo é estabelecer relações amistosas entre a polícia e os torcedores. Ao mesmo tempo, problemas serão enfrentados com determinação.

Além da polícia, aproximadamente 3 mil seguranças particulares atuarão nos estádios e nas arenas ao redor de telões instaldos em locais públicos.

Nos dias de jogos, entre 500 e 1.000 policiais alemães e franceses reforçarão a polícia Suíça.

Em caso de emergência, o exército suíço poderia disponibilizar até 15 mil soldados para as quatro cidades-sede na Suíça (Basiléia, Berna, Genebra e Zurique). Genebra rejeitou essa oferta, argumentando que os soldados vigiarão a infra-estrutura, mas não serão confrontados com torcedores que causarem tumultos.

Aqui termina o infobox

Rede de segurança

O governo suíço vai assinar um acordo de cooperação na área de segurança com os países participantes da Eurocopa, bem como com países por onde transitam torcedores a caminho da Suíça, como a Bélgica e a Dinamarca.

Uma carta de intenção nesse sentido já foi assinada no ano passado com a França.

Um acordo semelhante foi firmado com a Europol em 30 de janeiro de 2008.

Através desse documento, os países signatários reconhecem a necessidade de uma estreita cooperação, conforme prevê o projeto nacional da Suíça para a segurança do Euro 2008.

Aqui termina o infobox

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.