Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Click! O barulho da morte Caçadora de pragas

Kathrin Hirsbrunner, a primeira e até hoje a única caçadora de ratos da Suíça. Até hoje ela já conseguiu eliminar 90 mil, especialmente camundongos que infestam os campos de agricultores e atacam as suas plantações. Porém ela também pode trabalhar em aeroportos e até mesmo na sede da FIFA.

Ela é escultora de profissão, mas trabalhou como pedagoga em programa de assistência social. Mas então decidiu mudar a vida e procurou uma atividade onde poderia ser trabalhar como autônoma ao ar livre e com muita atividade física. Foi quando então assistiu em 2003 um documentário sobre o último caçador de ratos profissional da Suíça. "Se o último morreu, então serei a primeira", respondeu na época. Então ela começou a oferecer seus serviços. Não levou muito tempo e se tornou profissional, apesar de que as rendas ainda são "módicas".

Segundo Hirsbrunner, os camundongos do campo não têm mais inimigos naturais. Uma fêmea é capaz de dar à luz cinco vezes por ano a uma prole de até cinco filhotes. Em poucos meses eles já estão aptos a se reproduzir. Uma família de camundongos pode crescer assim, em apenas um ano, até chegar a ter 300 membros.

Hirsbrunner mata entre 50 a 200 camundongos por dia nas plantações. Muitos agricultores a contrataram de forma fixa. Porém ela pode ser chamada também à aeroportos, pois a existência de colônias de camundongos próximas às pistas é um risco à aviação. Razão: os camundongos atraem aves caçadoras como os gaviões, que podem ser sugados pelas turbinas das aeronaves. A suíça trabalha no local com uma ajudante.

A última caçadora de camundongos, Arquivo da Televisão Suíça SRFLink externo​​​​​​​