Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Com ajuda do árbitro, Suíça derrota Portugal na despedida

Yakin marcou os dois gols da Suíça.

(Keystone)

A Suíça venceu a equipe reserva de Portugal por 2 a 0 em sua última partida pela Euro 2008. O árbitro austríaco Konrad Plautz foi generoso com a equipe da casa.

A primeira vitória da Suíça numa Eurocopa foi ao mesmo tempo um presente de despedida para o técnico Köbi Kuhn e para a torcida do país co-anfitrião do torneio.

Já classificado para as quartas-de-final, Portugal começou o jogo contra a Suíça com o time reserva. Em relação às duas partidas anteriores, Scolari escalou oito novos e somente deixou o goleiro Ricardo, os zagueiros Pepe e Paulo Ferreira.

Em seu último jogo como técnico da Suíça, Köbi Kuhn, deu ao goleiro reserva Zuberbühler a chance de se despedir como titular do futebol internacional.

A partida não valia nada, mas mesmo assim a equipe suíça começou nervosa e errou vários passes seguidos. Aos 15 min, Lichtsteiner derrubou Nani na área, mas o árbitro austríaco Konrad Plautz não apitou pênalti.

Além disso, as duas equipes criaram duas boas chances de gol cada no primeiro tempo. Pela Suíça, Inler testou Ricardo com um belo chute de fora da área, aos 22 min. Dez minutos depois, Yakin exigiu uma boa defesa do goleiro português ao cabecear forte para o gol após uma cobrança de escanteio.

Além de não ter dado pênalti, o árbitro também invalidou um gol marcado por Postiga, aos 36 min, por suposto impedimento. Na seqüência, Nani cobrou uma falta que Zuberbühler desviou no travessão.

Aos 41 min, Scolari trouxe Jorge Ribeiro para o lugar de Paulo Ferreira, que havia levado um cartão amarelo após falta dura em Behrami e era constantemente vaiado pela torcida.

Dois gols de Yakin



No início do segundo tempo, Köbi Kuhn substituiu Vonlanthen por Barnetta, o que deu novo impulso ao ataque suíço. O maior perigo para o gol de Ricardo, porém, continuou partindo dos chutes de longa distância do meia Inler.

Na etapa final, os suíços pareciam realmente dispotos a conquistar a vitória como presente de despedida à torcida, ganhavam mais bolas divididas e passaram a pressionar Portugal.

Aos 26 min do segundo tempo, eles foram recompensados. Derdiyok recebeu um passe de Müller na entrada da área e prolongou para Yakin, que emendou pelo meio das pernas do goleiro Ricardo e abriu o placar.

Reação de Felipão

Scolari reagiu e trouxe dois jogadores da equipe principal – Moutinho e Hugo Almeida – a fim de evitar a primeira derrota na Euro. Na seqüência, Quaresma teve a chance de empatar, mas desperdiçou livre na área.

Onze minutos depois do primeiro gol, Fernando Meira derrubou Barnetta na área e o árbitro marcou um pênalti duvidoso. Yakin aceitou o presente e marcou o 2 a 0.

Os erros do árbitro austríaco Konrad Plautz impediram pelo menos dois gols de Portugal. E os dois gols suíços foram marcados a partir de situações duvidosas. Além disso, ele promoveu um festival de cartões amarelos: quatro para cada equipe. Tudo indica que foi também a última partida apitada por Plautz nesta Euro.

Análise de Barberis

"Se Portugal tivesse jogado por uma vaga nas quartas-de-final e colocado sua equipe principal em campo, a Suíça não teria tido qualquer chance", disse Umberto Barberis, analista da Euro para a swissinfo.

O ex-jogador da seleção e técnico mostrou-se compreensivo com a tática de Scolari. "Ele não quis submeter suas estrelas aos riscos de contusões ou cartões amarelos numa partida sem qualquer significado".

"Esta vitória fez bem aos jogadores, mas também ao técnico e aos fãs", acrecentou Barberis. "O público foi fantástico, porque perdoou as fracas atuações da equipe contra a República Tcheca e a Turquia. Isso é bom também para a Suíça como co-anfitriã da Euro", concluiu.

swissinfo, Geraldo Hoffmann

Suíça 2 x 0 Portugal

Suíça: Zuberbühler - Lichtsteiner, Müller, Senderos, Magnin - Behrami, Inler, Fernandes, Vonlanthen (Barnetta)- Derdiyok, H. Yakin
Técnico: Köbi Kuhn

Portugal: Ricardo; Miguel, Pepe, Bruno Alves, Ferreira (Jorge Ribeiro); Fernando Meira; Nani, Miguel Veloso (Joao Moutinho), Raul Meireles, Quaresma; Helder Postiga (Hugo Almeida).
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Data: 15/06/2006
Local: Basiléia, Suíça
Público: 42,5 mil (lotado)
Árbitro: Konrad Plautz (Áustria)
Assistentes: Egon Bereuter (Áustria), Markus Mayr (Áustria), Ivan Bebek (Croácia)
Gols: Yakin (S), aos 26 min e aos 37 min do 2T
Cartões amarelos: Yakin (S), Vonlanthen (S), Paulo Ferreira (P), Jorge Ribeiro (P), Fernando Meira (P), Barnetta (S), Miguel (P), Fernandes (S)

Aqui termina o infobox
(swissinfo.ch)
(swissinfo.ch)

×