Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Começa campanha contra tráfico de mulheres na Eurocopa

Campanha quer sensibilizar torcedores da Eurocopa.

Segundo a polícia suíça, entre 1,5 mil e 3 mil vítimas do tráfico de mulheres chegam ao país por ano. Elas trabalham em bordéis, viram "escravas domésticas" ou entram no "mercado do matrimônio".

Neste Dia Internacional da Mulher, uma campanha chamada "Euro 2008 contra o tráfico de mulheres" pede mais proteção às vítimas desse tipo de "escravidão moderna".

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que cerca de 2,5 milhões de pessoas anualmente se tornam vítimas do tráfico de seres humanos, sendo que 80% são mulheres.

Segundo Doro Winkler, do Centro de Informação para Mulheres da África, Ásia e América Latina (FIZ), poucas dessas mulheres na Suíça são reconhecidas como vítimas.

O governo suíço estima que o número de vítimas pode chegar a 3 mil, mas apenas 5% procuram auxílio no FIZ. "Muitas delas não se arriscam a ir à polícia por temer a expulsão do país", disse Winkler.

As 25 entidades organizadoras da campanha "Euro 2008 contra o tráfico de mulheres" querem que as vítimas não sejam mais tratadas como imigrantes ilegais, criminalizadas e expulsas do país.

Foco nas cidades-sede



Por isso, neste sábado, Dia Internacional da Mulher, os organizadores da campanha, que será centrada principalmente nas quatro cidades-sede do Euro na Suíça (Basiléia, Berna, Genebra e Zurique), lançam uma petição por "mais direitos e proteção para as vítimas do tráfico de mulheres". Eles esperam recolher 25 mil assinaturas de apoio.

O documento apresenta uma série de reivindicações aos governos estaduais e federal, entre elas, a concessão às vítimas do direito de permanência no país, isso independentemente de as mulheres deporem ou não na polícia.

Convenção contra TSH

Além disso, o texto pede padrões unificados de proteção às vítimas em todos os estados suíços e a realização de campanhas informativas. A Suíça também deve ratificar logo a Convenção do Conselho da Europa para o Combate ao Tráfico de Seres Humanos, continua o documento.

Uma outra reivindicação é que os cantões (estados) concedam vistos de permanência e prestem uma assistência especial às vítimas, bem como ofereçam treinamentos à polícia, às autoridades de imigração e aos funcionários da Justiça sobre como lidar com o problema.

Durante a Eurocopa, spots da campanha serão exibidos na televisão e em telões instalados em locais públicos. Os organizadores disseram que escolheram o Campeonato Europeu de Futebol como plataforma para atingir o maior público possível.

swissinfo com agências

Negócio bilionário

O governo suíço (Conselho Federal) assinou a Convenção das Nações Unidas sobre o Tráfico de Seres Humanos, que entrou em vigor em 2006.

A Organização de Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) estima que o tráfico de seres humanos gera lucros da ordem de 35 bilhões de dólares por ano. É mais do que o que gera o tráfico de drogas e o tráfico de armas.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.