Navigation

#AskTheEmbassy, o formato que seduz os suíços do estrangeiro

Anutin Charvirakul, vice-primeiro ministro e ministro da Saúde na Tailândia em discussão com S.E. Helene Budliger Artieda, embaixadora da Suíça em Bangkok.

Não há dúvida de que todas as representações diplomáticas suíças em todo o mundo fazem questão de oferecer o melhor serviço possível a seus concidadãos. Mas há uma que se destaca de todas: a embaixada suíça na Tailândia conquistou os expatriados que vivem na terra dos sorrisos.

Este conteúdo foi publicado em 15. fevereiro 2021 - 11:00

Já em junho de 2020, quando o mundo estava emergindo da primeira onda do coronavírus, a Embaixadora da Suíça na Tailândia, S.E. Helene Budliger Artieda, e sua equipe organizaram uma série de conversasLink externo ao vivo pelo Facebook. A ideia interessou imediatamente os cerca de 11.000 suíços que vivem no distrito consular de Bangkok, ou seja, Tailândia, Camboja e Laos.

Chamado de #AskTheEmbassy, o encontro informativo está agora em sua oitava edição. Durante essas sessões, a embaixadora é acompanhada por dois membros de sua equipe. Eles se revezam em alemão, francês e inglês para informar sobre a situação atual e responder as perguntas dos participantes.

Na sessão mais recente, realizada no dia 1º de fevereiro às 18h00, horário local (ou seja, meio-dia no horário suíço), a Embaixadora recebeu um distinto convidado na pessoa de Anutin Charvirakul, Vice-Primeiro Ministro e Ministro da Saúde da Tailândia. Charvirakul gerou controvérsia e despertou a ira da comunidade internacional na Tailândia ao fazer comentários indelicados sobre "farangs", um termo usado na Tailândia para designar os brancos ocidentais.

Uma diplomata querida

O número de pessoas que compareceram ao encontro foi proporcional à categoria do convidado e atingiu o pico de quase 300 participantes. Os principais tópicos discutidos foram a situação atual da saúde, as condições de permanência e entrada no país, bem como a poluição do ar e o tratamento do câncer. Mas todos os ouvidos estavam voltados para O tópico do momento: a vacinação. Durante várias semanas, circulavam boatos nas redes sociais de que apenas os tailandeses teriam acesso às vacinas, deixando os residentes estrangeiros de fora. O Ministro da Saúde negou o boato e quis tranquilizar o público na maioria dos assuntos discutidos durante esta #AskTheEmbassy.

S.E. Helene Budliger Artieda, Embaixadora da Suíça em Bangkok.

A boa notícia trazida pelo representante do governo agradou a comunidade suíça e a embaixadora recebeu também muitos elogios. "Excelente entrevista. É bom saber que a Suíça ainda goza de uma boa reputação na Tailândia e que estamos sendo ouvidos e obtendo respostas para nossas perguntas. Parabéns, Senhora Embaixadora", disse Marc H. Dumur, no Facebook.  Ou: "Convidar o Ministro da Saúde tailandês para a discussão, que nem sempre é favorável aos estrangeiros, foi um 'golpe de mestre' estratégico por parte da embaixadora. E o fato de Khun Anutin ter realmente aceitado o convite mostra o prestígio que a embaixadora Helene Budliger Artieda desfruta no Reino", de acordo com Heinz Mazenauer.

Contatado pela swissinfo.ch, Marc H. Dumur, que é cônsul honorário em Chiang Mai (norte da Tailândia) desde 2012, participou de todas as sessões da #AskTheEmbassy. Ele considera as conversas muito úteis, principalmente porque a embaixada suíça estava, segundo ele, bastante distante alguns anos atrás. Ele acrescenta: "Eu acho que é extremamente importante, especialmente nestes tempos de incerteza sobre a pandemia, acalmar os medos e apresentar os fatos de forma transparente".

Veja um resumo diário das notícias, participe de nossos debates e faça suas perguntas à comunidade com o nosso aplicativo 📱SWI plus📱
👉 AndroidLink externo
👉 iPhoneLink externo

End of insertion

Heinz Mazenauer, que passa vários meses do ano em Phuket (sul da Tailândia), cobre de elogios a embaixadora, que ele considera "clara, concreta, que mantém sua palavra, mas também reconhece abertamente quando ela se encontra em um impasse". Dotada, segundo ele, de "grandes habilidades de comunicação", ela tem que fazer malabarismos com "expatriados que nem sempre são amigáveis, por um lado, e autoridades tailandesas complicadas, por outro".

Esse ex-jornalista e especialista em comunicação acredita que Helene Budliger Artieda "fez muita coisa para os suíços no exterior durante a pandemia". Ele cita como exemplo o fato de que os suíços não estão sujeitos às rigorosas regras de entrada, embora o país conste da lista de países de alto risco da Tailândia.

A mesma observação foi feita por outra participante na sessão de 1° de fevereiro, que "se sente particularmente bem acompanhada" pela embaixadora.

Caso a parte

A iniciativa da embaixada da Suíça em Bangkok foi adotada também por outras representações diplomáticas? Questionado pela swissinfo.ch sobre isto, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores suíço disse que "várias representações suíças lançaram vários modos de conferência virtual", como Ottawa (Canadá). México e San Jose (Costa Rica) estão atualmente considerando a possibilidade.

Entretanto, embora este "atendimento ao cliente faça parte do mandato da Diretoria Consular e seja apoiado pelo ministério", ele não faz parte de uma estratégia mais ampla de apoio aos cidadãos suíços no exterior. De fato, "cabe a cada representação determinar o formato apropriado" para o país em que ela está localizada.

Para ver a conversa, clique aqui:

Conteúdo externo

Adaptação: Fernando Hirschy

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.