Cobrança de dívidas explode na Suíça

Mais e mais suíços estão entrando na mira dos cobradores. sda-ats

O número de cobranças de dívidas dobrou nos últimos 20 anos. Menos suíços estão pagando seus impostos, contas de seguro de saúde ou compras on-line no prazo.

Este conteúdo foi publicado em 16. janeiro 2019 - 12:30
swissinfo.ch

"Somente os gregos são menos pontuais", afirmou a manchete do jornal dominical SonntagsZeitung, em uma reportagem no final do ano passado.

Ele estava se referindo a um relatório da empresa de cobrança de dívidas Intrum, no qual cerca de 25.000 pessoas em 24 países da Europa foram pesquisadas sobre suas atitudes em relação ao pagamento de contas.

Dos suíços que foram entrevistados, 54% afirmaram que não conseguiram pagar pelo menos uma fatura nos últimos 12 meses. Isso colocou a Suíça em penúltimo lugar, à frente dos gregos.

O site de comparação Comparis chegou a uma conclusão semelhante, afirmando que uma em cada quatro pessoas na Suíça não pagou pontualmente, e o endividamento de uma em cada sete pessoas as colocou no registro de cobrança de dívidas.

Outra indicação de que a situação piorou é o aumento quase anual do número de processos de cobrança e falência. Os primeiros quase dobraram nos últimos 20 anos, para cerca de 650.000 (2017), enquanto os últimos subiram cerca de 50% no mesmo período.

Conteúdo externo


O fisco e as empresas de seguro de saúde têm sido particularmente diligentes usando canais legais para levar as pessoas a pagar. Roland Isler, porta-voz da Associação Suíça de Agentes de Cobrança e de Falências, acrescenta que as lojas online também são regularmente impactadas. E os jovens estão cada vez mais entre os devedores.

O sistema tributário suíço pode ser uma das razões pelas quais as pessoas demoram a pagar seus impostos. Ao contrário de muitos países, na Suíça os impostos não são deduzidos diretamente dos salários dos empregados. Toda a carga tributária federal, cantonal e municipal é baseada em renda e bens declarados pelos próprios contribuintes.

Outra idiossincrasia suíça também dificulta a comparação com o resto da Europa. "A Suíça é o único país da Europa onde é possível processar alguém sem um título legal", diz Isler.

Dieter Kläy, da associação que representa pequenas e médias empresas, diz que a mudança para formas eletrônicas e digitais de pagamentos também pode contribuir para o atraso suíço. "Está ficando cada vez mais raro as pessoas pagarem em dinheiro na hora por mercadorias."



Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo