Navigation

Educação

A educação suíça é baseada em uma sutil mistura de prerrogativas federais e cantonais Keystone

Sistemas múltiplos

Este conteúdo foi publicado em 10. maio 2006 - 17:00

A Constituição Federal estipula o direito à educação e a obrigação de freqüentar a escola. Mas, são os Cantões os responsáveis pela escolaridade.

Isto significa que existem atualmente 26 diferentes sistemas de educação na Suíça, embora tenha havido apelos visando harmonizar os diferentes sistemas.

Muitos alunos começam a escola aos sete anos de idade, depois de passarem um ou dois anos no jardim de infância. Eles geralmente permanecem nove anos na escola antes de ingressarem nos níveis superiores de educação e aprendizado.

Os Cantões estão autorizados a tomar suas próprias e independentes decisões, quando o assunto diz respeito à estrutura de seus sistemas de educação, programas e datas das férias escolares.

Contudo, a Conferência de Diretores Cantonais de Educação Pública assegura o contato e a harmonia entre os Cantões.

Mesmo assim, a Conferência enfrenta dificuldades na busca de uma harmonização escolar. Ainda não foi possível, por exemplo, generalizar a obrigação de escolarizar as crianças a partir dos 4 anos de idade.

Obstáculo maiores apareceram contra a tentativa de criar estruturas extra-escolares (como almoço para os estudantes ou deveres escolares supervisados).

Os críticos apontam dois principais problemas em relação ao atual sistema. Nem sempre é fácil se transferir de um para outro sistema cantonal. Os dias de aula nem sempre são compatíveis com os horários de trabalho dos pais.

Estas e outras falhas estão sendo tratadas em uma ampla série de propostas, apresentadas pelos diretores cantonais de educação. Eles são favoráveis a dois anos de escola materna e nove anos de escolaridade básica para todos. Da mesma forma, propõem regulamento obrigatório sobre o ensino de línguas estrangeiras e escolas com período integral. O implemento destas propostas não deve ocorrer antes de 2009.

Reforma

O Partido Radical, de centro-direita, deseja introduzir uma política de educação nacional com escola de período integral e horários harmonizados em todo país.

As pressões para mudanças também têm surgido de comparações internacionais, tais como o estudo Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), que mostra atrasos dos alunos suíços em algumas matérias.

Depois da escola básica, os alunos, normalmente, escolhem programas de aprendizagem que cobrem 400 setores de formação profissional ou superior.

Colégios foram criados para oferecer diplomas mais voltados para o mercado de trabalho.

Na Suíça há também dois institutos federais de tecnologia - as Politécnicas de Zurique e a de Lausanne - bem como dez universidades em diferentes cidades do país. Mas com os orçamentos reduzidos e freqüentes cortes de despesas, faculdades de diferentes instituições têm se fundido.

Cursos estão sendo gradualmente adaptados para incluir os diplomas europeus de BA (bachelor) e MA (master). Hoje, são mulheres a metade dos estudantes que não colaram grau.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?