Navigation

Europeus não invadiram Suíça

Os alemães Monika e Konrad Schorers posam frente à sua nova morada em Fang, no cantão de Friburgo. Keystone

O direito de livre circulação não provoca aumento considerável do número de cidadãos europeus na Suíça.

Este conteúdo foi publicado em 18. dezembro 2002 - 11:28

De acordo com o Departamento Federal de Estrangeiros, o que ocorreu foi o contrário: aumenta o número de suíços procurando informações sobre a vida e possibilidades de trabalho na Europa.

Nos primeiros cinco meses de vigor do acordo de livre circulação de pessoas, autoridades suíças vêem confirmar-se suas prognoses contidas: do início de junho até o final de outubro de 2002, chegaram apenas mais 5005 cidadãos europeus e do EFTA (Islândia, Liechtenstein, Noruega, além da própria Suíça) no país. Até 31 de outubro foram contabilizados 813.708 cidadãos desses países, vivendo na Confederação Helvética.

De acordo com o Departamento Federal de Estrangeiros, essa nova leva de estrangeiros representa um aumento de 0,6% em relação ao número existente até o final de maio, quando ainda não estava em vigor o tratado.

A maior parte dos europeus que imigraram para a Suíça vem da Alemanha: desde primeiro de junho de 2002, chegaram 4.174 alemães. Cidadãos italianos e espanhóis vivem um movimento inverso: eles estão saindo mais da Suíça do que tem entrando.

Suíços aproveitam da chance "européia"

Também os suíços têm, desde 1. de junho, a possibilidade de instalar-se num país da União Européia e do EFTA. Sua vantagem é que a maior parte dos países lhes dão as mesmas chances no mercado de trabalho do que para os seus cidadãos: apenas alguns deles fazem uso da cláusula, que dá preferência para a mão-de-obra local até 2004, em detrimento dos suíços que querem trabalhar nesses países. Cidadãos europeus não tiveram tanta sorte: eles têm de esperar até 2007 para ter livre acesso ao mercado de trabalho da Suíça.

Devido a falta de estatísticas, não sabe-se o número de suíços que saiu nesse ano para viver e trabalhar em outros países europeus. Porém, de acordo com informações do Departamento Federal de Estrangeiros, têm aumentado significadamente o número de pedidos de informações sobre condições de vida na Europa. Se antes o maior interesse dos suíços era dado para os Estados Unidos, hoje em dia o maior interesse é em relação a França, Alemanha, Áustria e Grã-Bretanha.

swissinfo com agências

Breves

- Entre junho e outubro de 2002, imigraram 5.505 cidadãos da União Européia e do EFTA para a Suíça.
- Até o final de outubro viviam 813.708 cidadãos desses países na Suíça.
- Maior parte da nova leva de europeus que imigram para a Suíça vem da Alemanha: desde junho, chegaram 4.174 deles.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?