Navigation

Skiplink navigation

Hospitais aproximam-se do limite, mas ainda há leitos disponíveis

Alguns hospitais da Suíça estão prestes a atingir a capacidade pois o número de admissões de pacientes de Covid continua a aumentar. Keystone/Alessandro Crinari

Os leitos nas unidades de terapia intensiva da Suíça poderão em breve atingir a capacidade, já que o número de hospitalizações relacionadas com a Covid continua a aumentar.

Este conteúdo foi publicado em 18. novembro 2020 - 10:08
swissinfo.ch/urs

Um representante do governo disse que apenas 242 dos 900 leitos totalmente certificados ainda estavam livres.

"Ainda estão à disposição 700 leitos adicionais que podem ser disponibilizados", disse Andreas Stettbacher em uma coletiva de imprensa na terça-feira.

Entretanto, uma alta funcionária do Departamento Federal de Saúde Pública advertiu que não era justo pedir aos hospitais que abrissem novas alas e que colocassem o pessoal de saúde sob pressão.

Existem atualmente cerca de 540 pacientes Covid em unidades de terapia intensiva, representando cerca de 60% do total de pacientes em tais enfermarias. 

Em vez disso, ela pediu à população que observasse as regras de higiene para deter a propagação do vírus.

Avisos semelhantes sobre o excesso de capacidade também foram emitidos durante a primeira onda de infecções no início deste ano, mas o sistema de saúde suíço não entrou em colapso.

O número de infecções diárias está atualmente em torno de 4.500 - e os dados oficiais mostram uma tendência para um declínio lento dos casos de Covid-19 nas últimas duas semanas.

Entretanto, espera-se que o número de mortes relacionadas à Covid aumente nos próximos dias. Na terça-feira, 142 novas mortes foram relatadas, elevando o total para cerca de 3.300 este ano.

Há uma controvérsia contínua sobre uma suposta falta de cooperação entre hospitais de diferentes regiões do país no que diz respeito à admissão de pacientes. A Suíça ocidental (francófona) tem sido particularmente atingida pela segunda onda da pandemia, enquanto os hospitais, particularmente em torno de Zurique, centro e leste da Suíça, continuam a realizar cirurgias regulares.

O Ministro do Interior Alain Berset criticou publicamente as 26 autoridades de saúde cantonais, em sua maioria autônomas, por não darem prioridade aos pacientes de Covid.


Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo