Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Itália derrota França e enfrenta Espanha nas quartas

Andrea Pirlo abriu o placar para os italianos, cobrando pênalti.

(Keystone)

Depois de levar uma goleada da Holanda em sua estréia no "grupo da morte", a Itália derrotou a França e se classificou às quartas-de-final da Eurocopa, onde enfrentará a Espanha.

No outro jogo pelo Grupo B, a equipe reserva da Holanda - já classificada - derrotou a Romênia por 2 a 0 e espera a definição de seu adversário no jogo entre Rússia e Suécia, nesta quarta-feira.

O início do jogo em Zurique foi enérgico. A França imediatamente conseguiu arrancar dois escanteios, mas não tirou proveito deles.

Na seqüência, a Itália criou a primeira boa chance. No entanto, Toni, lançado livre na área, a desperdiçou, mandando a bola para a linha de fundo.

Aos 8 min, a França teve seu primeiro choque. O meia Ribèry cometeu falta em Zambrotta, se contundiu gravemente e foi substituído por Nasri. Foi o fim antecipado da Euro para o melhor jogador francês no torneio.

Sem seu motor, a França perdeu o ritmo e a Itália assumiu o controle do jogo. Aos 24 min, a equipe tricolor sofreu seu segundo choque. O atacante italiano Toni recebeu um lançamento longo e foi derrubado na área. O árbitro marcou pênalti e expulsou o zagueiro Abidal, autor da falta.

Pirlo cobrou no minuto seguinte e abriu o placar para os italianos. Ribery foi levado para o hospital sob suspeita de ter quebrado a perna.

A Itália manteve a pressão contra os dez franceses, teve mais meia dúzia de chances para ampliar o marcador, mas não o fez. Principalmente Toni, a estrela do Bayern de Munique, continuou mal de pontaria.

Aos poucos, os franceses recuperaram-se do cartão vermelho, do gol e da onda de ataques italianos, e terminaram o primeiro tempo atancando. E também tiveram sorte: aos 44 min, o goleiro Coupet desviou para o poste uma falta cobrada pelo zagueiro italiano Fabio Grosso.

No segundo tempo, a equipe italiana continuou melhor estruturada em campo, enquanto a França passava a impressão de não ter compreendido o quão decisiva era a partida.

Aos 17 min da etapa final, De Rossi cobrou uma falta de 30 metros de distância, Henry, na barreira, desviou a bola de forma indefensável para o goleiro Coupet: 2 a 0 para a Itália.

Com isso, a partida estava decidida. A França ainda fez algumas tentativas de ataque, exigiu uma boa defesa de Buffon, mas sem Ribèry e com apenas dez jogadores em campo não foi um adversário à altura dos campeões mundiais italianos.

Holanda 2 x 0 Romênia

Como era de se esperar, os holandeses ganharam a disputa nas arquibancadas antes mesmo do apito inicial. Dois terços dos 32 mil torcedores no Estádio da Suíça, em Berna, eram holandeses.

Em campo, porém, se viu uma Holanda bem diferente dos dois primeiros jogos. O técnico Marco van Basten aproveitou o fato de a equipe já estar classificada para as quartas-de-final para poupar seus principais jogadores, entre eles o goleiro Van der Saar, e testar nove novos.

No primeiro tempo, a Romênia, que precisava de uma vitória para se classificar, apresentou-se demasidamente defensiva e ficou esperando os ataques da Holanda. A equipe laranja, porém, não teve muitas idéias para romper a defesa romena.

Resultado: foram os 45 minutos mais fracos dos três jogos disputados na capital da Suíça. A melhor chance holandesa surgiu aos 38 min, quando Robben, livre diante do goleiro Lobont, mandou a bola para fora.

A Romênia continuou temerosa no segundo tempo e logo foi castigada pela sua passividade. Aos 9 min, Huntelaar aproveitou um cruzamento rasteiro da direita e abriu o placar para a Holanda.

A três minutos do final do tempo regulamentar, Van Persie recebeu um cruzamento, novamente da direita, matou a bola no peito, livrou-se de um zagueiro romeno e emendou no ângulo superior direito do goleiro Lobont.

Depois do apito final, dezenas de milhares de holandeses voltaram às ruas de Berna para encerrar a maior festa do futebol que a capital suíça já viu em sua história. O próximo jogo da Holanda será no sábado, na Basiléia.

swissinfo, Geraldo Hoffmann

França 0 x 2 Itália

França : Coupet - Clerc, Gallas, Abidal, Evra - Makelele, Toulalan - Govou (Anelka), Ribery (Nasri [Boumsong])- Benzema, Henry
Técnico: Raymond Domenech

Itália: Buffon - Zambrotta, Panucci, Chiellini, Grosso - Pirlo (Ambrosini), de Rossi, Gattuso - Perrotta (Camoranesi) - Toni, Cassano
Técnico: Roberto Donadoni

Data: 17/06/2006
Local: Zurique, Suíça
Público: 30 mil (lotado)
Árbitro: Luboš Michĕl (Eslováquia)
Assistentes: Roman Slyško (Eslováquia) Martin Balko (Eslováquia) Viktor Kassai (Hungria)
Gol: Pirlo (I), aos 25 min do 1T; de Rossi (I), aos 17 min do 2T
Cartões amarelos: Evra (F), Pirlo (I), Chiellini (I), Govou (F), Gattuso (I)
Cartão Vermelho: Abidal (F)

Aqui termina o infobox

Holanda 2 x 0 Romênia

Holanda: Stekelenburg - Boulahrouz (Melchiot), Heitinga, Bouma, de Cler - de Zeeuw, Engelaar - Afellay, van Persie, Robben (Kuijt)- Huntelaar (Vennegoor of Hesselink)
Técnico: Marco van Basten

Romênia: Lobont - Contra, Tamas, Ghionea, Rat - Codrea (Dica)- Cocis, Chivu - Nicolita (F. Petre), Mutu, M. Niculae (D. Niculae)
Técnico: Victor Piturca

Data: 17/06/2006
Local: Berna, Suíça
Público: 32 mil (lotado)
Árbitro: Massimo Busacca (Suíça)
Assistentes: Matthias Arnet (Suíça) Stéphane Cuhat (Suíça) Craig Thomson (Escócia)

Gols: Hunterlaar (H), aos 9 min do 2T; Van Persie, aos 42 min do 2T
Cartões amarelos: Chivu (R)

Aqui termina o infobox

×