Navigation

Itália pede extradição de "mafioso"

Tráfico de cigarros, uma das atividades do "mafioso". Keystone

A Itália quer julgar Gerardo Cuomo, 54 anos, preso há um mês em Zurique, sob acusação de tráfico de cigarros e lavagem de dinheiro. O caso está ligado à enorme escândalo envolvendo magistrados suíços.

Este conteúdo foi publicado em 08. junho 2000 - 11:39

Um dos advogados de Cuomo é noiva de Franco Verda, presidente do tribunal cantonal (estadual) do Ticino, sul do país, na fronteira com a Itália.

Ele e o procurador geral do cantão, Luca Marcellini teriam facilitado a vida do suposto mafioso que inclusive conseguiu carteira de residência no Ticino.

A Procuradoria Federal suíça quer apurar o caso e fez nomear pelo governo cantonal do Ticino um procurador extraordinário para investigar as atividades dos dois magistrados, bem conceituados na região.

Terminado o inquérito ambos serão ou não indiciados. Mas o caso, inédito do Ticino, provocou estupor. Enquanto isso Verda e Marcellini se demitiram.

Quanto a Gerardo Cuomo, ele é procurado pela justiça italiana por participação em organização criminosa e lavagem de dinheiro.

swissinfo com agências.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?