Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Jovens abusam do álcool

Na Suíça a juventude começa muito cedo a abusar da cerveja.

(Keystone)

De três a quatro adolescentes são internados diariamente nos hospitais devido ao vício ou intoxicações provocadas pelo abuso do álcool.

Uma pesquisa mostra como o problema está se agravando entre os jovens. O acesso à bebida é amplo, até mesmo para menores de idade.

Durante o ano coberto pelo estudo (2003), 1.300 crianças, adolescentes e jovens adultos entre 10 e 23 anos foram tratados nos hospitais suíços devido a uma intoxicação ou dependência ligada ao consumo de álcool. Essas e outras informações foram publicadas na quarta-feira (23.05) pelo Instituto suíço de prevenção do alcoolismo e outras toxicomanias (ISPA, na sigla em francês).

Em 900 dos jovens pesquisados foi diagnosticada uma intoxicação alcoólica. Cerca de 400 jovens foram tratados devido à dependência de álcool. O número de intoxicações alcoólicas aumenta fortemente entre os adolescentes de 14 anos para alcançar o pico máximo entre os jovens de 18 a 19 anos.

Entre os jovens de 20 anos, o número de diagnósticos de dependência aumenta drasticamente, uma evolução que inquieta o ISPA. De fato, os especialistas partiam do princípio que uma dependência se desenvolvia apenas após muitos anos de consumo.

Baseado no estudo, o ISPA constata que jovens do sexo masculino são atingidos com muito mais freqüência por intoxicações de álcool e também alcoolismo do que jovens do sexo feminino.

A ponta do iceberg

Os resultados do estudo foram fundados nas estatísticas de hospitais suíços que trataram pessoas após internações totais ou parciais em 2003. "Porém ele não consegue abranger a totalidade do problema", comunica o ISPA.

De fato, os jovens vitimados de uma intoxicação alcoólica que tiveram tratamento ambulatório, em centros especiais, através dos médicos de família ou que passaram alguns dias em celas para fazer passar a bebedeira, não entraram no cálculo das estatísticas.

- Nós acreditamos que os números revelados por esse estudo mostram apenas a ponta do iceberg. O problema do alcoolismo entre jovens suíços é muito grave - declara o autor, Gerhard Gmel.

Fácil acesso

Para Michel Graf, diretor da ISPA, uma das medidas de prevenção mais importantes seria restringir o acesso às bebidas alcoólicas baratas para os jovens.

- A bebida mais consumida pelos rapazes é a cerveja. Curiosamente, ela é mais barata nos supermercados suíços do que outras bebidas não alcoólicas. O trabalho de prevenção mais eficaz seria lembrar os adolescentes e adultos da sua responsabilidade, mas também a própria sociedade. Nesse caso são nossos políticos que têm de começar a agir para frear o problema.

swissinfo com agências

Fatos

O Instituto suíço de prevenção do alcoolismo e outras toxicomanias (ISPA, na sigla em francês) define embriaguez pontual como o consumo excessivo de álcool capaz de causar distúrbios físicos e psíquicos.
Ela se manifesta pela redução da capacidade de reação, julgamento e controle de si próprio, além de dificuldades de concentração e coordenação motora.
Para o ISPA, é possível de falar de embriaguez e intoxicação já a partir do consumo de quatro a cinco copos de bebidas alcoólicas.
A embriaguez pontual corresponde a essa dose de álcool - ou mais - consumida uma vez a cada quinze dias.

Aqui termina o infobox

Breves

- Segundo uma pesquisa realizada sobre o comportamento de saúde dos escolares, pouco mais de 300 mil pessoas seriam dependentes de álcool.

- Entre 450 mil e 900 mil pessoas vivem com um alcoólatra.

- Entre os jovens de 15 a 16 anos, é cada vez mais freqüente os estados de embriaguez.

- Mais de 40% dos meninos dessa faixa etária e cerca de 25% das meninas se embriagaram pelo menos duas vezes durante a sua vida.

Aqui termina o infobox

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Longform The citizens' meeting

Teaser Longform The citizens' meeting

advent calendar

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.