Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Juiz tem dificuldade para investigar russos

Bilhões de dólares sairam ilegalmente da Russia, passaram pelos Estados Unidos e foram para outros países para serem lavados. O escândalo foi revelado há quase um ano mas o juiz Kasper-Ansermet, de Genebra, reclama da falta de colaboração dos americanos.

O juiz Laurent Kasper-Ansermet, de Genebra, se diz "surpreso" com a falta de colaboração dos americanos no inquérito sobre o "Bank of New York". Revelado quase um ano atrás, o escândalo envolvendo próximos do então presidente Boris Yeltin, foi amplamente divulgado pela imprensa. Depois que Yeltsin deixou o poder, as notícias sobre o caso são raras.

Segundo avaliação da Procuradora americana Mary Jo White, entre fevereiro de 1996 e agosto de 1999, cerca de 7 bilhões de dólares sairam ilegalmente da Rússia, passaram pelo "Bank of New York", e depois foram transferidos para bancos em vários países. A justiça americana rastreou nesse caso 160 mil operações de transferência de dinheiro.

Os intermediários nas transações foram uma ex-diretora do banco para a Europa do Leste e seu marido. Ambos reconheceram parte das operações e que receberam cerca de US 1,8 bilhões de comissão. Eles aceitaram testemunhar nos USA em troca de redução de pena, se forem condenados.

Parte das transações e a comissão dos intermediários foi depositada na Suíça. Vários bancos denunciaram a existência de contas suspeitas relacionadas com o escândalo, conforme prevê a lei suíça. Cerca de 20 milhões de dólares estão bloqueados na Suíça, mas o juiz Kasper-Ansermet afirma que pediu a colaboração dos americanos, "que tarda a chegar" para prosseguir o inquérito.

swissinfo com agências.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.