Navigation

Junho bateu todos os recordes

Irrigação para compensar a falta de chuva. Keystone

Pelo menos nos últimos 250 anos, nunca houve um mês de junho tão quente e tão seco na Suíça.

Este conteúdo foi publicado em 30. junho 2003 - 14:13

As piscinas, as margens dos lagos e dos rios ficaram lotadas de banhistas antes da hora mas o fenômeno preocupa especialistas, ameaça os ecossistemas alpinos e causa problemas para os agricultores.

Com temperaturas acima de 35° C e sem chuva, em junho a Suíça mais parecia o Marrocos ou a Tunísia, embora com outra paisagem.

Nos últimos anos, o mês de junho tem registrado alguns dias de calor. O excepcional desta vez foi o forte calor durante todo o mês.

Temperatura sob desde os anos 80

Em Genebra, por exemplo, o termômeno não caiu abaixo de 25° desde o dia 29 de maio. Em média nacional, junho de 2003 teve temperaturas 6 a 7° mais elevadas que a norma habitual.

"É o mês de junho mais quente desde 1853, data em que começaram as medidas sistemáticas da temperatura", explica Christian Pfister, professor de história econômica, social e do meio ambiente na Universidade de Berna.

Além do calor, a seca do mês de junho também foi excepcional. No Cantão do Ticino, na suíça italiana, choveu apenas 5% do volume habitual do mês. Nas regiões de planície, onde estão as maiores cidades mas também a maioria da agricultura, choveu apenas 15 a 35% da média de junho.

Se este junho vai ficar na história como excepcional, o fenômeno do aquecimento da atmosfera é global. Em dezembro de 2002, a Organização Meterológica Mundial, com sede em Genebra, relatou que os dez anos mais quentes desde 1860 ocorreram depois de 1987.

Stéphane Bader, climatologista na MeteoSuíça, instituição oficial de previsões, confima que, na Suíça, "as temperaturas médias tendem a aumentar constantemente desde os anos 80 e não somente no verão, no inverno também".

De fato, ninguém mais contesta sériamente que o aquecimento do planeta é devido ao efeito estufa. Alguns cientistas ainda negam, no entanto, que o efeito estufa seja provocado principalmente pela atividade humana.

Uma Suíça tropical

No departamento de geociências da Universidade de Fribourg, são simuladas as mudanças climáticas para dentro de 100 anos. Através de um supercomputador, a equipe do professor Martin Beniston faz suas projeções baseadas nas concentrações possíveis de gazes que provocam o efeito estufa.

Apesar dos esforços para reduzir as emissões desses gases, em 2.100 a Suíça poderá ter um clima tropical, estável mas quente e seco.

Enquanto isso, os efeitos do aquecimento já são bem visíveis nas regiões alpinas. As geleiras recuam, as camadas de neve eterna estão mais finas e os terrenos e rochas mais inclinadas tornam-se instáveis.

"Nos verões mais quentes, poderá faltar água nas regiões de montanha", prevê Christian Pfister, da Universidade de Berna. A água é o recurso natural mais abundante, na Suíça.

swissinfo com agências

Breves

- Junho de 2003 foi o mais quente desde que se começou a medir temperaturas de maneira sistemática, em 1.853.

- A temperatura máxima, em junho (36,5°) foi registrada em Genebra.

- Junho também foi muito seco com precipaçõesde apenas 5% a 35% da média habitual.

- Projeções da Universidade de Fribourg indicam que a Suíça poderá ser um país tropical, em 2.100.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?