Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Mercado imobiliário Um em cada quatro inquilinos suíços quer se mudar, mas não pode

Mais de um quarto dos inquilinos na Suíça estão insatisfeitos com a sua moradia, mas não conseguem se mudar - especialmente por razões financeiras.

newspaper ad and pen

Casa dos sonhos: um loft em Zurique por mais de 4.000 francos por mês

(Keystone)

Uma pesquisa publicada pelo portal de comparação de preços comparis.ch revelou que 26% dos inquilinos suíços consideram sua situação de moradia insatisfatória. Dos 4.000 inquilinos pesquisados, 67% disseram que não poderiam se dar ao luxo de mudar para um lugar melhor. Outras razões dadas por não poderem mudar de endereço foram: família (14%), emprego (13%), animais de estimação (10%) e educação (8%).

Comprar um imóvel

À primeira vista, investir na Suíça pode significar simplesmente possuir uma casa ou chalé de férias. Aqui estão as informações que você procura. ...

+ Nas cidades suíças, 90% das pessoas são inquilinas

A pesquisa constatou que 37% dos inquilinos que vivem na Suíça de língua francesa estavam interessados em se mudar, mas não conseguiam. Na Suíça de língua alemã e italiana, a proporção é de 23%. O dinheiro foi o principal motivo citado pelos falantes de francês (80%); um problema menor os para falantes de alemão (60%) e italiano (63%).

Independentemente dos possíveis obstáculos, os suíços são bastante móveis. Nos últimos cinco anos, 55% dos inquilinos mudaram de casa pelo menos uma vez. Somente no ano passado, 22% se mudaram e 26% planejam fazê-lo nos próximos 12 meses.

Realizada em abril de 2018, a pesquisa entrevistou 4.175 inquilinos com idade entre 18 e 74 anos.

De acordo com os números mais recentes, cerca de 60% dos lares suíços são alugados. A média mensal de um aluguel no país é de pouco mais de 1.300 francos.


swissinfo.ch/fh

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.