Mia, Emma, Liam, Noah: os nomes para bebê mais populares em 2019

Você me chamou de quê...?! © Keystone / Gaetan Bally

Sem surpreender, Mia foi o nome mais popular para meninas recém-nascidas na Suíça no ano passado, enquanto Liam encabeçou a lista de meninos bebês.

Este conteúdo foi publicado em 19. agosto 2020 - 14:27
Keystone-SDA/dos

Os 443 Liams que ingressaram na Suíça, e no mundo, em 2019 fizeram dele o nome masculino mais popular pelo segundo ano consecutivo. Noah (437) e Matteo (360) completaram o pódio.

Enquanto isso, 434 novas Mias ultrapassaram a campeã de 2018, Emma, que teve que se contentar com o segundo lugar entre as meninas com 402 novos entes. Sofia foi a terceira mais popular, com 341.

No total, 86.172 bebês nasceram em 2019 na Suíça, disse o Departamento Federal de Estatística (FSO) na terça-feira.

O 10 primeiros nomes de meninos em todo o país foi, em ordem decrescente: Gabriel, Luca, Leon, Elias, Louis, David e Samuel.

E para as meninas: Lara, Emilia, Mila, Mila, Lina, Lia, Lena e Anna.

Algumas pequenas diferenças foram registradas entre a Suíça de língua francesa e a Suíça de língua alemã: por exemplo, Emma continuou sendo o nome de menina mais popular nos cantões francófonos, que também eram menos favoráveis a Noah do que seus vizinhos alemânicos do norte. Leonardo e Sofia eram os principais nomes entre a população de língua italiana.

As especificidades cantonais chamam a atenção. Em Friburgo e Genebra, Chloé era o nome no topo entre as meninas, apesar de não aparecer entre os primeiros 20 nomes nacionalmente. Em Lucerna, Ben - 15º no país todo - era o nome principal para meninos.

As listas, incluindo as que remontam a 2015 (quando Noah e, novamente, Mia eram os mais populares), podem ser visualizadas no site da FSO aqui.

.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo