Navigation

Cientistas suíços e realidade virtual mostram o encolhimento das geleiras

Como os pesquisadores do clima preveem os Alpes praticamente sem gelo até 2100, uma exposição de realidade virtual ajuda as pessoas a imaginar como as maiores geleiras suíças encolherão sob os efeitos do aquecimento global. (SRF/swissinfo.ch)

Este conteúdo foi publicado em 22. abril 2019 - 11:00
swissinfo.ch

Um estudo recente de uma equipe na Suíça calculou que cerca de 50% do volume dos glaciares alpinos desaparecerá entre 2017 e 2050 - independentemente do corte das emissões de gases de efeito.

Uma exposição itinerante tenta agora ilustrar os efeitos das alterações climáticas na natureza e na paisagem. Equipados com óculos de realidade virtual, os visitantes da exposição Expedition 2 Grad embarcam no tempo e no espaço em um mundo virtual em torno da Geleira de Aletsch, nos Alpes de Berna.

O estudo da equipe suíça, publicado na The Cryosphere afirma que o atual "cenário de altas emissões" traria um aquecimento mais rápido nas próximas décadas.

"Neste caso pessimista, os Alpes estarão praticamente sem gelo até 2100, com apenas manchas de gelo isoladas permanecendo em altas altitudes, representando 5% ou menos do volume de gelo atual", diz o coautor do estudo Matthias Huss, pesquisador do instituto federal de tecnologia ETH Zurich. As emissões globais estão agora um pouco acima do que é projetado por este cenário.

As geleiras suíças já derreteram consideravelmente. Nos últimos 170 anos, o volume total de gelo diminuiu de 130 para cerca de 52 metros cúbicos.

Os Alpes em RV

A exposição em RV tenta ajudar as pessoas a compreender as implicações reais de um aumento de 2 graus Celsius na temperatura. Este é o limite sugerido pelo Acordo Climático de Paris de 2015.

A exposição acontece no Zernez National Park Centre, no sudeste da Suíça, até 22 de agosto. Depois disso, será apresentada no World Nature Forum em Naters, no cantão do Valais, de 10 de setembro de 2019 a 23 de janeiro de 2020.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.