A 'mulher mais alta da Suíça' só quer falar em italiano

Por um ano inteiro, a partir de hoje, as sessões da Câmara dos Deputados da Suíça não serão conduzidas em alemão ou francês como de costume, mas em italiano. Marina Carobbio, a nova presidente do Conselho Nacional, vem do cantão do Ticino. A social-democrata quer promover as questões das mulheres e a língua italiana durante a sua presidência.

Este conteúdo foi publicado em 29. novembro 2018 - 13:30

O fato de que o mais alto cargo político é exercido por uma mulher também não é comum na Suíça. E ainda mais raramente é ocupado por um membro do conselho originário da Suíça de língua italiana.

Marina Carobbio pertence a ambas as minorias. Essa médica de 52 anos, membro do Conselho Nacional do Partido Socialista (SP) há onze anos, foi eleita na segunda-feira com 154 dos 172 votos válidos como nova presidente da grande Câmara parlamentar (Nationalrat). Nesta capacidade, ela presidirá as negociações da Câmara, definirá a agenda e representará a Casa no mundo exterior, a partir de agora até a sessão de outono de 2019. Carobbio representa claramente suas posições de esquerda. No entanto, ela também é valorizada por colegas da direita política como competente e sociável.

(SRF, swissinfo.ch)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo