Navigation

Crise cambial não afeta Zermatt

Enquanto algumas estações de esqui estão oferecendo descontos para atrair clientes, Zermatt se concentra em turistas nacionais e asiáticos para evitar o prejuízo. (SRF/swissinfo)

Este conteúdo foi publicado em 16. março 2015 - 11:00

Centenas de participantes de cursos de esqui se reúnem todos os dias na praça principal de Zermatt antes de sair com seus instrutores para as pistas. O franco forte significa menos turistas provenientes de países da União Europeia.

Para compensar as perdas, as operadoras de turismo de Zermatt estão cada vez mais focadas nos clientes domésticos, bem como nos turistas da Ásia. No ano passado, cerca de 150 mil reservas em Zermatt foram feitas por turistas asiáticos. Eles são menos afetados pela taxa de câmbio atual. Mas eles ainda acham a Suíça cara.

Os hotéis também são caros. Enquanto em outras regiões muitos hotéis estão oferecendo descontos para atrair hóspedes, Zermatt continua agarrada aos seus preços altos. Os hoteleiros de Zermatt querem se concentrar mais no mercado interno. Quase metade das reservas são feitas por turistas suíços.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.