Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Partidos de centro ganham eleições na Suíça

O centro fica mais dividido com as eleções de 2011.

(Keystone)

Os Verdes Liberais e o Partido Burguês Democrático são os vencedores são os vencedores das eleições legislativas federais de domingo na Suíça. Os resultados definitivos serão divulgados segunda-feira.

O Partido do Povo Suíço (SVP) recua, mas continua sendo o maior partido do país. O Partido Socialista mantém-se como segundo partido do país e o Partido Verde recua.

Os Verdes Liberais e o Partido Burguês Democrático são os vencedores são os vencedores das eleições legislativas federais de domingo na Suíça. Os resultados definitivos serão divulgados segunda-feira.

O Partido do Povo Suíço (SVP) recua, mas continua sendo o maior partido do país. O Partido Socialista mantém-se como segundo partido do país e o Partido Verde recua.

Partidos recentemente criados, os Verdes Liberais (VE) e o Partido Burguês Democrático (PBD), dois partidos de centro-direita, são os vencedores das eleições legislativas federais de domingo, segundo as projeções de voto. Os resultados definitivos serão divulgados segunda-feira (24). Os verdes liberais terão 12 deputados na Câmara, passando de 1,4% em 2007 a 5,3%. Criado a partir de uma divisão do Partido do Povo Suíço (SVP), o PBD terá 9 deputados (5,2%).

Pela primeira vez nos últimos vinte anos, o Partido do Povo Suíço (SVP) perde eleitores (-3%) O maior partido do país e o mais à direita entre o grandes partidos, obtém 25,9% e perde sete deputados na Câmara.

Partido fundador da Suíça moderna, o Partido Liberal Radical perde 2,4% em relação às eleições de 2007 e terá agora 15,3%. Símbolo das dificuldades do PLR, seu presidente e deputado federal Fulvio Pelli  foi reeleito com apenas 58 votos de vantagem no cantão do Ticino (sul).  

Outro partido tradicional que perde eleitores, o Partido Democrata Cristão (PDC) também perde eleitores (-1,4%) e terá 28 deputados federais e 13,1% dos votos. O Partido Socialista (PS) se mantém como o segundo maior do país com 18,1% dos votos e 44 deputados federais na Câmara.

O bloco de esquerda se enfraquece na Câmara porque o Partido Ecologista perde 1,7% dos eleitores e sete deputados federais. Os ecologistas tradicionais não conseguiram capitalizar o acidente nuclear de Fukuschima, no Japão.

Situação para o Senado

Os Verdes Liberais e o Partido Burguês Democrático são os vencedores são os vencedores das eleições legislativas federais de domingo na Suíça. Os resultados definitivos serão divulgados segunda-feira.

O Partido do Povo Suíço (SVP) recua, mas continua sendo o maior partido do país. O Partido Socialista mantém-se como segundo partido do país e o Partido Verde recua.

Partidos recentemente criados, os Verdes Liberais (VE) e o Partido Burguês Democrático (PBD), dois partidos de centro-direita, são os vencedores das eleições legislativas federais de domingo, segundo as projeções de voto. Os resultados definitivos serão divulgados segunda-feira (24). Os verdes liberais terão 12 deputados na Câmara, passando de 1,4% em 2007 a 5,3%. Criado a partir de uma divisão do Partido do Povo Suíço (SVP), o PBD terá 9 deputados (5,2%).

Pela primeira vez nos últimos vinte anos, o Partido do Povo Suíço (SVP) perde eleitores (-3%) O maior partido do país e o mais à direita entre o grandes partidos, obtém 25,9% e perde sete deputados na Câmara.

Partido fundador da Suíça moderna, o Partido Liberal Radical perde 2,4% em relação às eleições de 2007 e terá agora 15,3%. Símbolo das dificuldades do PLR, seu presidente e deputado federal Fulvio Pelli não foi reeleito no cantão do Ticino (sul).  

Outro partido tradicional que perde eleitores, o Partido Democrata Cristão (PDC) também perde eleitores (-1,4%) e terá 28 deputados federais e 13,1% dos votos. O Partido Socialista (PS) se mantém como o segundo maior do país com 18,1% dos votos e 44 deputados federais na Câmara.

O bloco de esquerda se enfraquece na Câmara porque o Partido Ecologista perde 1,7% dos eleitores e sete deputados federais. Os ecologistas tradicionais não conseguiram capitalizar o acidente nuclear de Fukuschima, no Japão.

Na eleição para o Senado (Conselho de Estados), no sistema majoritário, o Partido do Povo Suíço (SVP) tentava reforçar sua presença, mas fracassou. O partido poderá inclusive perder senadores. Mentor do partido, o ex-ministro Christoph Blocher está em terceiro lugar, mas haverá um segundo turno para decidir as 46 cadeiras do Senado.

O presidente do SVP está em segundo lugar no cantão de St-Gallen. Outros grandes nomes do SVP, Jean-François Rime, em Friburgo, e Caspar Baader, em Basileia, não foram eleitos para o Senado. Entre os socialistas (PS), a ex-presidente da Câmara, Pascale Bruderer, foi eleita para o Senado.  Foram eleitos no primeiro turno, sete senadores do PLR, sete do PS, sete do PDC e quatro do SVP. Em dez cantões, haverá um segundo turno para o Senado.

  

Em Friburgo, os dois senadores atuais foram reeleitos no primeiro turno (Alain Berset, do Partido Socialista) e Urs Schwaller (PDC). O mesmo ocorreu em Neuchâtel com Raphaël Comte (PLR) et Didier Berberat (PS).

Com o novo Parlamento, e a progressão dos pequenos partidos do centro, as atenções agora se voltam para as alianças com vistas à eleição dos sete ministros que formam do governo federal, dia 14 de dezembro.

Eleições legislativas federais

As eleições legislativas federais ocorrer a cada quatro anos.

Os eleitores votam para a Câmara (200 cadeiras) e o Senado (46). A eleição para a Câmara é proporcional aos habitantes por cantão (estado). Para o Senado, a eleição é majoritária. Cada cantão tem dois senadores e os semi-cantões têm um senador.

Aqui termina o infobox

swissinfo.ch


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.