Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Procurador denuncia "ineficácia" da justiça européia

Magistrado Bertossa critica justiça européia

(Keystone)

O procurador de Genebra, Bernard Bertossa, estima "inapropriados" os métodos de cooperação judiciária na União Européia. Segundo ele o formalismo e a lentidão dos métodos de cooperação judiciária tornam ineficazes os processos.

O procurador suíço tem em mente em particular o "affaire" Elf. Esse grupo francês do setor do petróleo é acusado de lavagem de dinheiro e subornos por ocasião de contratos realizados na ex-Alemanha do Leste.

Segundo Bertossa o caso ELF "concentra todas as aberrações do sistema (judiciário) atual.

Ele não nega a existência de uma rede de magistrados europeus que respondem aos critérios de colaboração internacional. Mas o estima ineficiente.

O procurador de Genebra desejaria que os magistrados pudessem "comparar os dossiês". Que pudessem comparar documentos.

Mas Bertossa cita o exemplo da juiz de instrução parisiense Eva Joly. encarregada do caso ELF. Cada vez que ela precisa de uma informação ela precisa enviar uma comissão rogatória sujeita a recurso.

Segundo a agência AFP as declarações de Bernard Bertossa figuram na revista francesa L'expansion, publicada quinta-feira, 11 de maio.

swissinfo com agências.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.