Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Roy Emerson se prepara para entregar recorde a Federer

Recordista aposentado: Roy Emerson conquistou 28 títulos Grand Slam.

(swissinfo.ch)

Roy Emerson, lenda-viva australiana do tênis e proprietário de uma academia em Gstaad, quer parabenizar Federer se ele igualar seu recorde de 12 Grand Slam individuais. Para isso o suíço tem de vencer o campeonato americano US Open.

Mas a vitória apertada de Federer sobre o espanhol Rafael Nadal em Wimbledon faz com que alguns comentaristas acreditem que os dias do suíço no topo estejam contados.

Aos setenta anos, Roy Emerson pode se orgulhar de ter conquistados títulos em todos os quatro torneios "Grand Slam", antes da época em que os tenistas profissionais foram autorizados a participar. Hoje, do alto dos anos de experiência, o australiano declara estar convencido de que Roger Federer, o fenômeno suíço do tênis, conseguirá bater o recorde do americano Pete Sampras, com 14 títulos de Grand Slam.

"Eu não tenho a menor dúvida que ele conseguirá me superar e, possivelmente, até mesmo quebrar o recorde do Sampras", declara Emerson à swissinfo no seu local de trabalho, Gastaad, a conhecida e exclusiva estação de inverno na Suíça, onde ele está dando a sua anual clínica de verão de tênis.

"Até o momento em que Federer conseguir se manter sem contusões, não posso imaginar que o resultado seja diferente. Atualmente ele está uma classe acima de todos os outros jogadores, com exceção talvez de Rafael Nadal, que acaba de começar a lhe dar algumas dores de cabeça".

Nadal, o tenista espanhol que é atualmente o número dois, conseguiu bater Federer em oito das suas 13 partidas. Ele também bateu Federer três vezes no Open da França, o único título do Grand Slam que ainda está faltando para a coleção do campeão suíço.

"Sem dúvida, Nadal jogou em Wimbledon melhor do que nos anos passados. Enquanto Federer conseguir mantê-lo sob controle, aproveitando das suas fraquezas, ele não conseguirá bater o suíço", afirma.

Realmente o melhor?

Apesar de todas as palavras de louvor que caem normalmente sobre um atleta que é o número um do tênis, Emerson acha difícil declarar que Federer é o melhor jogador de todos os tempos. O fato é que ele ainda não conseguiu vencer o obstáculo que representa o Open da França.

"Alguns puristas do tênis diriam que, enquanto Federer não ganhar no Aberto da França, ele não pode ser considerado um jogador completo. Falta para ele completar esse desafio", explica a lenda australiana.

"Pessoalmente, eu acho que a grande chance que ele tinha de ganhar no Aberto da França foi nesse ano, especialmente depois dele ter finalmente conseguido bater o Nadal no saibro pouco antes, em Hamburgo".

Emerson admite que esse possa ser um intento muito difícil, sobretudo pelo fato de exigir do jogador a participação em todos os jogos durante o ano e a necessidade de utilizar diferentes tipos de equipamento. "Porém é óbvio que o Federer é extremamente bom", reforça.

Individuais e campeão de duplas

Até o momento em que o suíço continuar na sua marca de 11 títulos Grand Slam, Emerson pode se orgulhar de ser o mais bem-sucedido jogador de tênis a viver na Suíça.

Assim como através da sua clínica anual de tênis, o australiano de 70 anos mantém uma residência em Gstaad, um relacionamento apaixonado que começou ainda no tempo em que ele brilhava nas quadras.

Emerson ganhou o Aberto da Suíça cinco vezes. Em Gstaad ele também jogou sua última partida como profissional, perdendo na primeira rodada do Aberto da Suíça de 1973 aos 42 anos de idade. Sua participação no torneio terminou garantindo uma homenagem muito especial, quando a quadra central foi batizada de "Roy Emerson Arena".

Um recorde que dificilmente será batido por Federer é o número total de títulos Grand Slam amealhados por Emerson em competições individuais e em dupla. Com 16 títulos de dupla no currículo, o australiano soma 28 troféus Grand Slam, colocando ele num patamar muito acima de qualquer outro jogador masculino de tênis.

Nesse sentido, Emerson pode dormir tranqüilo. Ele sabe ainda pode olhar por muito tempo, do alto das montanhas de Gstaad, a estrela do grande campeão suíço.

swissinfo, Mark Ledsom em Gstaad

Fatos

Títulos de Sampras em Grand Slam: Australian Open 1994, 1997, Wimbledon, 1993-5, 1997-2000, US Open 1990, 1993, 1995-6, 2002.
Títulos de Emerson em Grand Slam: Australian Open 1961, 1963-7, French Open 1963, 1967, Wimbledon 1964-5, US Open 1961, 1964.
Títulos de Federer em Grand Slam: Australian Open 2004, 2006-7, Wimbledon 2003-7, US Open 2004-6.

Aqui termina o infobox

Recordes

Roy Stanley Emerson (nascido em 3 de novembro de 1936 em Black Butt, Austrália) é um conhecido jogador australiano de tênis, que foi o maior expoente do tênis amador nos anos 60. Durante sua carreira, ele conquistou 12 títulos Grand Slam individuais e 16 em dupla, totalizando um recorde histórico de 28 Grand Slam obtidos, mantido por ele até hoje.

Suas 12 conquistas individuais foram recorde até 2000, quando foi batido pelo americano Pete Sampras. Ele é o único jogador da história a conquistar os 4 Grand Slam tanto em individual como em dupla.

Alguns especialistas colocam em dúvida a qualificação de melhor tenista da história. Justificativa: no seu tempo, amadores e profissionais não competiam juntos e o circuito profissional sempre teve um nível superior ao amador, apesar dos torneios mais tradicionais e importantes (os Grand Slam) estarem reservados para amadores.

Aqui termina o infobox

Grand Slam

O termo Grand Slam é usado, em tênis, para denominar o fato de ganhar todos os seguintes torneios de tênis no mesmo ano: Open da Austrália (Melbourne - janeiro), Roland-Garros (Paris - maio/junho), Wimbledon (Londres - junho/julho), US Open (Nova York - agosto/setembro).

Esses torneios são, por isso, conhecidos como os Torneios do Grand Slam, sendo considerados pelo grande público como os mais importantes torneios de tênis da temporada, além de serem os mais bem dotados em prêmios e pontos para a classificação mundial. Os títulos nestes torneios são chamados de Títulos de Grand Slam.

O termo Grand Slam foi usado pela primeira vez em 1933, pelo jornalista estado-unidense John Kieran. Ao descrever a tentativa, naquele ano, de Jack Crawford de ganhar todos os 4 títulos, comparou-a com o grand slam em bridge. No entanto, na final do US Open, Crawford foi incapaz de ganhar contra Fred Perry. Foi somente em 1938 que Donald Budge tornou-se a primeira pessoa a ganhar o Grand Slam. (Texto: Wikipédia em português)

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×