Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Salinas nega ter dinheiro sujo

Raúl Salinas cumpre pena de 27 anos na capital mexicana

(Keystone Archive)

Os 100 milhões de dólares bloqueados na Suíça são dinheiro fornecido por empresários para a criação de um fundo de investimento. É o que afirma Raúl Salinas de Gortari a um juiz suíço que o interrogou em prisão mexicana, onde o irmão do ex-presidente Carlos Salinas está preso.

Raúl Salinas de Gortari cumpre sentença de prisão de 27 anos, por ter sido mandante no assassinato de seu ex-cunhado, Francisco Ruiz, secretário geral do PRI, Partido Revolucionário Institucional. O crime, em 1994, aconteceu meses antes do irmão de Raúl terminar o mandato presidencial.

Há 3 anos que a justiça suíça investiga o caso

A justiça suíça começou a interessar-se por Salinas em 1998, quando Paulina Castañon, esposa do preso (encarcerado em 1995) foi detida em Genebra ao tentar sacar dinheiro de um banco, com documentos falsos. Desde então o dinheiro de Raúl Salinas está congelado.

A justiça de Genebra tenta apurar se os US$ 100 milhões provêm de tráfico de drogas. A viagem de uma semana ao México, concluída pelo juiz de instrução, Paul Perraudin, destinava-se a interrogar Raúl Salinas e seus cúmplices.

Justificativa de Salinas não convence

Perraudin encontrou-se durante mais de 10 horas com o suspeito, na prisão de Almoloyita, na capital mexicana. Raúl proclamou-se mais uma vez inocente. Segundo ele a soma não vem do narcotráfico. Ele a teria recebido de empresários do país para investir!

O acusado, que estimou ilegal o encontro com o juiz, pediu acareação com pessoas que o acusam. Como as testemunhas não podem se expor, uma solução possível seria uma "vídeo-conferência".

Suíça poderia confiscar os 100 milhões

O Ministério Público mexicano também entrou na história e pode formular exigências que contrariem essa solução. A entidade prometeu enviar dentro de duas semanas uma delegação a Genebra para consultar os dossiês do magistrado suíço. O objetivo é saber se com base nas provas reunidas pela justiça suíça se pode indiciar Raúl Salinas por tráfico de drogas.

Resta que se as investigações concluírem que o dinheiro provém da corrupção será devolvido ao México. Se for provado que vem do tráfico de drogas, o juiz pode ordenar o confisco, em conformidade com a lei suíça.

swissinfo com agências

×