Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Seleção suíça sub-17 encanta fãs e mídia

Defesa colombiana não resistiu ao ataque suíço comandado por Ben Khalifa (10).

(Keystone)

Após golear a Colômbia por 4 a 0, a equipe sub-17 é a primeira seleção suíça que chega à final de um torneio da Fifa desde 1924.

Meios de comunicação do país e do exterior rasgam elogios ao time pela classificação para a final contra a Nigéria, anfitriã e defensora do título, no domingo em Abuja.

Os jogadores e o técnico suíço Dany Ryser não encontraram palavras para explicar a goleada de 4 a 0 sobre a Colômbia, na semifinal de quinta-feira (12/11), em Lagos, pela Copa do Mundo Sub-17.

Depois do jogo, a equipe foi sitiada pela mídia. Os jornalistas queriam saber qual é o segredo do sucesso. "Um incentiva o outro. Nossa autoconfiança nos dá uma enorme força", disse o atacante Haris Seferovic, autor de um dos quatro gols.

Orgulho para toda a Suíça

O fato de os juniores terem derrotado no Mundial na Nigéria potências do futebol como Brasil, Alemanha e Itália empolgou também o técnico da seleção principal da Suíça.

"Só posso felicitar a equipe por esse desempenho extraordinário", disse Ottmar Hitzfeld, antes do amistoso deste sábado em Genebra contra a Noruega.

"A Suíça inteira pode estar orgulhosa desses jovens jogadores de futebol. Eles tiveram um sucesso sensacional em condições nada fáceis", disse Hitzfeld, que assistiu à goleada de 4 a 0 sobre a Colômbia pela TV.

"Toda a equipe jogou num nível muito elevado. Ela mostrou muito equilíbrio, sem pontos fracos e com muitas qualidades próprias", elogiou Hitzfeld

Novos ídolos nacionais

Não faltam também elogios da mídia – não só suíça – aos sub-17, que já são tratados como novos ídolos do futebol helvético. "Os suíços mostraram um jogo perfeito", comentou até o jornal colombiano El Tiempo.

"Sub-17 suíços a 90 minutos do título mundial. Os talentos da Associação Suíça de Futebol desmontaram a Colômbia na semifinal por 4 a 0", escreve o site Tagesanzeiger.ch. "Foi um show de futebol ofensivo suíço", segundo o site oficial da Fifa.

O jornal Les Temps, da parte francesa do país, constata que "a euforia não tem limite para a equipe sub-17. A classificação para a final já é uma das maiores conquistas do futebol suíço."

O jornal espanhol As escreveu: "A seleção suíça confirmou com sua convincente vitória sobre a Colômbia que é definitivamente a revelação dessa Copa do Mundo Sub-17."

O editor de futebol do portal suíço Blick.ch, Andreas Böni, aproveitou para alfinetar os jogadores da seleção principal suíça: "Estrelas da Nati, aprendam com os gigantes da sub-17. A Nati (assim é chamada a seleção A pela mídia) ainda tem muito a aprender com esses meninos de ouro."

Geraldo Hoffmann, swissinfo.ch

Binacionais

Treze dos 21 jogadores da seleção suíça sub-17 têm dupla nacionalidade. Veja os países em que eles têm suas raízes:

André Gonçalves, Portugal
Fréderic Veseli, Kosovo
Granit Xhaka, Albânia
Haris Seferovic, Bósnia
Igor Mijatovic, Sérvia
Joel Kiassumbua, Congo
Kofi Nimeley, Gana
Maik Nakic, Croácia
Nassim Ben Khalifa, Tunísia
Pajtim Kasami, Albânia
Ricardo Rodríguez, Chile
Robin Wecchi, Itália
Sead Hajrovic, Bósnia

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×