Navigation

Demanda por sacolas plásticas em supermercados despenca

A decisão dos principais supermercados da Suíça de cobrar 5 centavos por sacola plástica levou a uma queda de demanda de cerca de 80%. A rede Coop disse que conseguiu economizar 850 toneladas de plástico por ano.

Este conteúdo foi publicado em 06. novembro 2017 - 14:31
swissinfo.ch/ts, swissinfo.ch
As sacolas plásticas estão sumindo dos supermercados suíços Keystone/Gaetan Bally

A Migros foi a primeira rede varejista a deixar de distribuir gratuitamente as sacolas há exatamente um ano. Coop e a maioria dos outros grandes supermercados, incluindo Denner, Spar e Manor, seguiram o exemplo. As redes alemãs Lidl e Aldi nem oferecem sacolas plásticas.

Desde a introdução de uma pequena taxa de 5 centavos, a demanda por tais sacolas caiu mais de 80% na Migros, mais de 85% no principal rival Coop e 74% no Spar, segundo um relatório da rádio pública suíça, SRF. Denner e Manor não divulgaram seus números.

Essa queda na demanda corresponde a um objetivo do setor varejista de reduzir o uso de sacos plásticos gratuitos em 80% no início do próximo ano. No entanto, os sacos de plástico permanecerão disponíveis para os hortifrútis.

As sacolas plásticas ainda são gratuitas nos supermercados Volg e Landi e também em lojas "expressas" menores, como Coop Pronto e Migrolino. Um porta-voz do Coop disse que é mais difícil mudar o comportamento dos clientes nessas lojas menores do que nos supermercados, porque as compras são geralmente mais espontâneas e as pessoas tendem a não trazer suas próprias sacolas.

Poluição

A Suíça é um dos vários países que proibiram, baniram parcialmente ou cobram pelo uso de sacolas plásticas.

Muitos sacos plásticos acabam no oceano, estrangulando tartarugas, asfixiando aves marinhas e enchendo os estômagos de golfinhos e baleias com resíduos até morrerem de fome.

Sacos plásticos, que podem levar até 1.000 anos para se decompor, acabam assim entrando na cadeia alimentar humana através de peixes e outros animais.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.