Navigation

Suíça apóia Paquistão e América Central

O terremoto deixou milhares de pessoas desabrigadas. Keystone

Suíça ajuda: governo, Cruz Vermelha e ações como a "Solidariedade Suíça" apóiam financeiramente e tecnicamente vítimas de catástrofes naturais.

Este conteúdo foi publicado em 11. outubro 2005 - 11:01

O terremoto no Paquistão provocou mais de 30 mil mortes, enquanto o furação Stan deixou um rastro de destruição na Guatemala, México, Costa Rica e Honduras.

Duas catástrofes naturais assolaram o mundo em menos de uma semana. Em ambos, agências oficiais suíças e ONGs já estão presentes com ajuda financeira e técnica.

Um total de 947 pessoas morreu na Índia pelo forte terremoto do sábado passado enquanto no Afeganistão morreram três pessoas, duas delas crianças, indicaram hoje fontes oficiais. No Paquistão, o país mais castigado pelo tremor de 7,6 graus na escala Richter, o número oficial de vítimas supera as 20.000, mas várias organizações humanitárias acham que serão mais de 50.000. Na parte indiana da Caxemira, os últimos dados facilitado pelas autoridades são de há 947 mortos, 4.000 feridos e pelo menos 30.000 casas danificadas.

Mais de 700 pessoas morreram na América Central e México neste fim de semana em deslizamentos de terra decorrente das chuvas trazidas pelo furacão Stan. No sul do México, por exemplo, 70 rios transbordaram, 30 pontes caíram e mais de 150 mil pessoas ficaram desabrigadas. Em El Salvador, mais de 70 pessoas morreram e outras 60 mil ficaram sem teto.

A Guatemala, porém, foi o país mais atingido - vilas inteiras desapareceram. Calcula-se que 130 mil pessoas estejam sem casa e mais de 3 milhões sem eletricidade, água e saneamento básico. As equipes de resgate ainda não alcançaram algumas das 90 cidades afetadas. Costa Rica, Honduras e Nicarágua também registraram incidentes por causa das fortes chuvas.

Ajuda suíça

Logo após o terremoto, a Confederação Helvética enviou uma equipe de apoio de sete especialistas (em medicina e reconstrução), que viajou para o Paquistão no domingo (09.10) num avião suíço equipado pela unidade de avaliação e coordenação da ONU (UNDAC) com um laboratório capaz de tornar a água potável.

Além disso, o governo ainda vai enviar especialistas em prevenção de catástrofes naturais, além de material médico e artigos como cobertores, sacos de dormir e utensílios para a cozinha aos albergues improvisados para receber milhares de desabrigados nas regiões atingidas.

Na América Central, a Direção para Desenvolvimento e Cooperação (DDC), assim como diversas ONGs suíças, trabalham atualmente em conjunto para comprar e distribuir material de ajuda, que deve ser distribuído entre as vítimas do furação. Ao mesmo tempo, três especialistas (um para El Salvador e dois para a Guatemala) foram enviados para auxiliar nos trabalhos de resgate.

Ajuda financeira

O apoio financeiro vindo da Suíça está aumentando gradativamente.

A Confederação Helvética anunciou que destinará um milhão de francos para o Paquistão e 300 mil francos para a América Central.

- No caso do Paquistão, os primeiros 500 mil francos foram desembolsados para financiar as operações de socorro que estão sendo conduzidas no momento - explica Jean-Philippe Jutzi, diretor da DDC.

A Cruz Vermelha Suíça desbloqueou 250 mil francos para as regiões atingidas pelo terremoto na Ásia e uma quantidade idêntica para as vítimas do furação Stan na América Central.

A Solidariedade Suíça, ação de ajuda organizada pela empresa estatal de rádio e televisão SRG SSR idée suisse, abriu uma conta bancária para doações. Ela também está enviando 100 mil francos ao Paquistão e 300 mil francos para a América Central.

swissinfo com agências

Fatos

O governo suíço ofereceu ajuda imediata às vítimas do terremoto no Paquistão e do furação Stan na América Central.
O país asiático receberá um milhão de francos da DDC; 100 mil francos da Solidariedade Suíça; 250 mil francos da Cruz Vermelha e 300 mil da Cáritas, entre outros.
El Salvador e a Guatemala, os países mais afetados pela passagem do furação Stan, receberão 250 mil francos da Cruz Vermelha e 300 mil francos da Solidariedade Suíça.
A Solidariedade Suíça, ação de ajuda organizada pela empresa estatal de rádio e televisão SRG SSR idée suisse, abriu uma conta bancária para doações.

End of insertion

Breves

- A Suíça tem uma tradição sólida na ajuda humanitária. Um órgão federal, a Direção para Desenvolvimento e Cooperação (DDC) é responsável pelo setor, como determina uma lei federal de 1976.

- O governo helvético apóia o Paquistão com uma equipe de seis especialistas, que atualmente atuam na região sinistrada pelo terremoto. Na América Latina, a Suíça mantém três especialistas.

- Além das catástrofes, durante 2005, a Suíça também ofereceu apoio financeiro, técnico e psicológico às vítimas da fome no Níger, aos reféns da escola de Berslan (Rússia), às vítimas das inundações na Romênia e outros.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?